Siga-nos
exclusivo!
Carlos Antunes

Entrevistas

‘Marreta’ lamenta afobação em revés para Glover e reprova furada de fila de Adesanya

Após mais de um ano afastado do UFC, período em que se recuperava de cirurgias nos joelhos, Thiago ‘Marreta’ subiu no octógono da franquia em novembro de 2020, mas não teve o resultado e nem a apresentação que esperava. Depois um início promissor de luta, quando quase nocauteou Glover Teixeira, o carioca foi finalizado pelo compatriota no terceiro assalto. Agora, passado o período de silêncio que segiu a disputa, o lutador deu explicações sobre o que houve de errado no combate.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight, ‘Marreta’ recordou sua frustração após seu último compromisso. De acordo com o lutador, seu desabafo foi por não seguir as instruções que lhe foram passadas pelos seus treinadores durante o duelo. Além disso, brasileiro admitiu que a falta de ritmo de luta influenciou na sua performance e que pecou ao se deixar levar pela emoção de tentar terminar a luta com rapidez, buscando nocautear Glover a todo momento.

“Minha frustração foi porque não fiz nada que treinei. Tínhamos um plano, mas deixei a adrenalina tomar conta de mim, acho que por muito tempo sem lutar, então sai um pouco do controle dos meus treinadores e travei. Foquei em acabar a lutar, em nocautear e estava com pressa de terminar a luta. Isso que me deixou chateado. Por mais que muitas pessoas falem que não treine chão, wrestling, eu tenho minha consciência tranquila que o trabalho foi feito e não botei em prática. Deu um branco, fiquei cego em nocautear e esqueci de tudo”, adiantou o lutador, antes de citar as mudanças que pretende fazer para sua próxima luta, quando enfrenta Aleksandar Rakic, no dia 6 de março, no UFC 259.

“Isso que vamos fazer (ser mais estratégicos). Por isso peguei logo uma outra luta logo, porque quero voltar ao ritmo como fazia antes (da cirurgia nos joelhos), lutando direto. Me sinto bem quando faço isso. Agora vou estar melhor. (A falta de ritmo) Atrapalhou bastante, o timing, raciocínio estava atrasado, meu tempo estava lento, estava sempre um passo atrás dele na luta. Agora meu grande objetivo é voltar o caminho das vitórias. Venho de duas derrotas e minha meta é reverter esse quadro”, completou.

Para mudar esse panorama desconfortável e novamente somar mais uma vitória para a sua trajetória no UFC, ‘Marreta’ vai ter pela frente Aleksandar Rakic, número quatro do ranking da divisão e que vem de triunfo sobre Anthony Smith, em agosto de 2020. Ao ser questionado sobre seu novo rival, o brasileiro se mostrou tranquilo e adiantou que não se impressionou com as recentes atuações do austríaco pela organização.

“Ele é um oponente duro, mas é mais uma luta. Ele é um cara que vem embalado, vem de vitória, é novo. Ele é comprido, bate forte, usa bem os chutes, mas não vejo nada diferente ou surpreendente nele. Ele é completo, não é aquele cara que tem algo especial, tipo quando vai enfrentar o Demian Maia que você pensa que se ele pegar as costas ferrou. Tenho que me preocupar da maneira geral”, afirmou o atleta.

Além da decepção de não ter vencido em sua volta, ‘Marreta’ também não gostou nada de ver o UFC alçar Israel Adesanya, campeão do peso-médio (84 kg), como desafiante ao cinturão de sua categoria diante de Jan Blachowicz, atual campeão. O brasileiro, em tom de reprovação, citou que meritocracia do lutador que consegue seus resultados dentro do octógono fica em segundo plano, sendo preterido pela questão midiática e lamentou a situação de Glover, que era o favorito para disputar novamente o título.

“É o business, né?! Não foi a primeira vez e nem vai ser a última. Não tem nenhuma surpresa. Faz parte. É o que é. Ainda mais nessa fase de pandemia. Eles (UFC) não estão fazendo tanto dinheiro. É triste pelo Glover, porque era ele, por merecimento, que tinha que disputar o cinturão, mas não teve jeito. Não adianta ir contra isso. Não esquento mais minha cabeça, não bato boca, não falo nada. As coisas funcionam assim. É seguir trabalhando, confiar em Deus que a oportunidade vai chegar”, analisou.

No MMA profissional desde 2010, Thiago ‘Marreta’ soma 21 vitórias e oito derrotas na carreira. De 2018 a 2019 o brasileiro viveu seu grande momento no Ultimate, engatando quatro triunfos seguidos e se credenciando para disputar o cinturão da categoria diante de Jon Jones. Porém, após esse confronto, quando foi superado até então campeão somente por decisão dividida dos jurados, o brasileiro passou por cirurgias nos joelhos, por lesões em decorrência deste combate e ficou mais de um ano afastado das competições, atrapalhando sua evolução e brecando sua boa fase.

Mais em Entrevistas