Siga-nos
Diego Ribas/PxImages

Entrevistas

José Aldo faz balanço positivo de 2020 e descarta frustração por temporada desfavorável

O ano de 2020 de José Aldo começou com a promessa de que o ex-campeão dos penas (66 kg) lutaria por um novo título, desta vez no peso-galo (61 kg), contra o americano Henry Cejudo, em seu país natal, em edição do Ultimate que seria realizada em São Paulo (SP), em maio. No entanto, a pandemia do novo coronavírus e as mudanças provocadas por ela atrapalharam os planos do brasileiro, que só pôde voltar ao octógono em julho, já sem ‘Triple C’ como adversário, mas ainda em compromisso válido pelo cinturão da divisão até 61 kg.

Apesar dos bons momentos apresentados na disputa contra Petr Yan, no UFC 251, o veterano não foi páreo para a jovem promessa russa e acabou derrotado. Neste sábado (19), o ‘Campeão do Povo’ retorna ao octógono no último evento do Ultimate na temporada 2020 diante do equatoriano Marlon ‘Chito’ Vera, de olho em fechar o ano em grande estilo, apagando os maus momentos recentes.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag Fight, Aldo descartou uma possível frustração com o andamento da temporada e optou por fazer um balanço positivo do ano que se encerra. O lutador ainda ressaltou sua satisfação por poder voltar a competir antes do final de 2020 e agradeceu ao UFC pela oportunidade.

“Primeiramente eu fico bem feliz com o Ultimate, gosto sempre de agradecer a eles. Foi a primeira organização esportiva que voltou, em uma fase que o munda passa bem ruim, e a gente poder desenvolver nosso trabalho, estar lutando, dando tranquilidade para a nossa família. Isso não tem preço. Eu sempre faço (um balanço anual) com bons olhos. Só tenho que agradecer”, declarou Aldo, antes de completar.

“(Agradecer) por, mesmo com a pandemia, eu poder fazer duas lutas. Uma pelo título, com o Petr (Yan), independentemente do resultado, mas foi bom. A gente conseguiu lutar, tivemos nossa oportunidade, isso é um esporte e faz parte. Você tem que aprender com as vitórias e com as derrotas. Agora fechando o ano, eu fico bem feliz porque esse era o meu objetivo, fazer a segunda luta no ano”, concluiu.

No MMA profissional desde 2004, José Aldo soma 28 vitórias e sete derrotas em seu cartel. Soberano da divisão dos penas entre 2011 e 2015, o manauara vive atualmente seu pior momento na carreira, ao menos no que diz respeito a resultados, com três reveses consecutivos, dois já atuando pela divisão dos galos.

Mais em Entrevistas