Siga-nos

Entrevistas

Empresário de ‘Borrachinha’ discorda de cobrança pública ao UFC por aumento salarial

Na última semana, uma notícia movimentou os bastidores do mundo das lutas. Segundo colocado no ranking peso-médio (84 kg) do UFC, Paulo ‘Borrachinha’ se recusou a assinar o contrato para enfrentar Jared Cannonier e, através de suas redes sociais, se juntou a Jon Jones na cobrança por uma maior valorização salarial por parte da entidade. A cobrança pública não agradou à alta cúpula do Ultimate, representada pelo presidente da organização Dana White, que rebateu, de forma áspera, o lutador brasileiro.

Quem também não parece ter ficado satisfeito com a atitude do peso-médio foi Wallid Ismail, empresário de ‘Borrachinha’. Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag Fight (veja acima ou clique aqui), o manager revelou ter sido contrário ao posicionamento de seu cliente, principalmente por ter sido feito de forma pública.

Na visão de Wallid, a negociação por um aumento salarial deveria ter sido feita de forma privada, entre ele, como representante do mineiro, e o UFC. O empresário ainda afirmou que a melhor forma de resolver este imbróglio seria que ambas as partes cedessem para que se pudesse chegar a um meio termo, mas, para isso, o agente considera imperativo que o peso-médio volte a lutar o mais breve possível.

“Eu não acho legal ele ter ido para a imprensa tocar o terror. Eu falei para ele: ‘Quer ser o mártir? Quem vai se ferrar é tu’. Até o Cannonier falou: ‘Alguém tinha que brigar com o UFC’. Vai ser ele? Isso é uma loucura maior do mundo. Não adianta. Tem que ter um diálogo, mas por trás das câmeras. Não pode ir para a imprensa, é muita loucura isso. Eu conversei com ele e falei: ‘Chega! Deixa eu trabalhar. Faz tudo que você tem que fazer na sua vida, se recupera do que tem para recuperar e me avisa quando você vai estar pronto para lutar’. É isso que eu quero”, comentou Wallid, antes de completar.

“Porque agora é a hora dele lutar. O Borrachinha vencendo essas duas lutas que ele tem no contrato, ele vale muito. Isso eu tenho certeza. Porque ele vende, ele é inteligente. Ele tem todo o pacote. Agora é voltar a vencer nessas duas lutas e o céu é o limite. O UFC foi muito bom com ele na disputa do cinturão (contra Israel Adesanya). Pagou o que a gente pediu. Só que ele realmente merece um aumento, ele é o segundo do ranking. Mas tem que ter um meio termo. Mas agora é hora dele lutar, agora é hora do Borrachinha lutar”, concluiu o empresário, que reforçou sua posição ao revelar que tentou convencer ‘Borrachinha’ a assinar o contrato para enfrentar Jared Cannonier, em luta que estava prevista para acontecer no dia 21 de agosto.

Ex-desafiante ao cinturão peso-médio do Ultimate, Paulo ‘Borrachinha’ é um dos principais nomes da categoria na atualidade. O atleta, no entanto, não compete desde setembro do ano passado, quando foi nocauteado por Israel Adesanya, em disputa válida pelo cinturão da divisão até 84 kg da entidade.

Com a batalha pública travada contra o UFC, o mineiro pode acabar perdendo espaço dentro da organização. Vale lembrar que Jon Jones, ex-campeão dos meio-pesados (93 kg) e uma das principais estrelas do Ultimate em todos os tempos, também entrou em rota de colisão com a entidade em busca de melhores recompensas financeiras, e parece ter sido colocado na ‘geladeira’, provavelmente perdendo a chance de disputar o título dos pesos-pesados contra Francis Ngannou.

Mais em Entrevistas