Siga-nos
exclusivo!
Divulgação/UFC

Entrevistas

Dos Anjos critica falta de repertório de McGregor e analisa chances de enfrentá-lo

Empolgado após retornar com sucesso à categoria do peso-leve (70 kg) após triunfo sobre Paul Felder, em novembro de 2020, por decisão dividida dos jurados, Rafael Dos Anjos não esqueceu de um antigo desafeto: Conor McGregor. Os dois lutadores ficaram perto de medirem forças em 2016, mas uma lesão do brasileiro, que era o campeão na época, obrigou o Ultimate a cancelar o combate.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight, o atleta natural de Niterói (RJ) voltou a mencionar um possível confronto diante do irlandês. Apesar do cenário ser diferente e ele não ser mais o campeão da categoria, o brasileiro afirmou que vê esse confronto com bons olhos e que é possível dele acontecer. Vale destacar que McGregor foi derrotado por Dustin Poirier em janeiro deste ano, na luta principal do UFC 257.

“Ele (McGregor) é um cara que escolhe as lutas dele, e a minha sempre vai fazer sentido. Já teve para acontecer e não aconteceu. Acho que agora que as peças se mexeram na divisão, tem uma grande chance de acontecer, mas ele tem outras opções, como as trilogias com o (Nate) Diaz e o (Dustin) Poirier. É um cara que está na minha frente do ranking e está perto. A rota de colisão ficou mais próxima ainda”, explicou o lutador.

Ao ficar atento às atuações de McGregor, Dos Anjos não deixou de analisar a atuação do ex-campeão dos leves e do peso-pena (66 kg) do Ultimate diante de Poirier. O brasileiro apontou ter um jogo complicado para o irlandês e aproveitou para provocá-lo.

“O Poirier vem com uma estratégia boa, não veio só para trocar, já deu uma queda e confundiu o Conor. O Conor é um excelente lutador, tem um boxe muito bom, é muito técnico, mas ele não consegue fazer ajustes durante a luta. Se a luta não for da maneira como ele tá imaginando ele se perde. Ele é um cara que não gosta de apanhar, quando toma um soco e já acusa logo. Ele não está em uma fase boa, mas luta é luta e lutador é motivação. Vamos ver se ele aproveita essa fase ruim para dar uma focada, analisar o que está de errado e voltar por cima”, explicou o ex-campeão do Ultimate.

Em 2015, Rafael dos Anjos foi campeão dos leves do UFC. Na ocasião, o brasileiro derrotou o americano Anthony Pettis e conquistou o cinturão, o defendendo na sequência diante de Donald Cerrone, ainda no mesmo ano. Após perder o título para Eddie Alvarez, em 2016, e também ser superado por Tony Ferguson, o lutador decidiu subir de categoria e se aventurar nos meio-médios (77 kg). Nesta divisão, o carioca chegou a lutar pelo título interino, mas foi derrotado por Colby Covington, em 2018.

Mais em Entrevistas