Siga-nos

Entrevistas

Carlos ‘Boi’ provoca Justin Tafa e promete vitória rápida: “É frouxo, não aguenta porrada”

Além do sucesso no octógono, os atletas do UFC sabem que para ter destaque no esporte, e principalmente na organização, é necessário ser uma figura popular – e uma das táticas mais utilizadas por eles é o ‘trash talk’. No entanto, no Brasil, o artifício ainda não é bem aceito por boa parte dos fãs, porém Carlos ‘Boi’, aos poucos, tenta modificar essa imagem. Sempre que pode, o peso-pesado provoca os rivais, e o alvo da vez é Justin Tafa, seu adversário no dia 16 de janeiro, na ‘Ilha da Luta’, em Abu Dhabi (EAU).

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag Fight, ‘Boi’ não quis saber de diplomacia. Pelo contrário, o brasileiro não poupou Tafa em seus ataques. Empolgado pela primeira vitória no UFC, o baiano afirmou que o rival se entrega quando atacado e não titubeou ao chamá-lo de frouxo. Sendo assim, ‘Boi’ indicou que o duelo vai acabar antes dos 15 minutos disponíveis e justificou a aposta ao apontar que o atual oponente não tem a resistência de Yorgan de Castro, sua última vítima.

“A gente estudou muito o jogo dele, inclusive uma das coisas que a gente fez na quarentena foi ficar assistindo as lutas dele. Já sabemos o o jogo dele todo, o que ele faz em qualquer momento da luta, como ele responde quando a gente golpeia de um jeito, a gente sabe que ele é frouxo, que não aguenta porrada. Quando ele toma algum golpe ele se entrega fácil e a gente acredita que ele não vá durar os três rounds, como o Yorgan de Castro. Querendo ou não, o Yorgan aguentou as pancadas e a gente tem certeza que ele não vai aguentar esse ritmo”, provocou ‘Boi’.

Curiosamente, esse será o terceiro combate do brasileiro pelo UFC, também o seu terceiro disputado na ‘Ilha da Luta’, sendo que um determinado número de atletas ainda não conhecem o famoso local. ‘Boi’ brincou com a situação, mas informou que a missão não é tão glamourosa como muitos imaginam. O baiano declarou que a atual viagem para Abu Dhabi foi a mais cansativa que realizou, relatou como foi a experiência e sua rotina no hotel.

“Estou feliz. Vou pedir um visto de cidadania, porque estou me sentindo um morador daqui já. A única diferença é que o espaço que a gente pode circular é reduzido. Se antes já não tinha muita coisa para fazer, agora piorou. Só pode ficar dentro do hotel mesmo. Só tem a piscina e treino. Essa foi a viagem mais cansativa da minha vida, porque fiz um bocado de conexão. O voo estava lotado. Aí chegou, já eram cinco horas da manhã, tive que ir para uma tenda fazer um teste de COVID que não estava programado ainda. Lá, eles botaram tipo um relógio com GPS para saber a localização, para ver se a gente estava cumprindo a quarentena mesmo. A quarentena foi jogar videogame, comer, dormir e treinar. A gente optou por treinar uma vez no dia só para dar um descanso e mais a viagem, porque, querendo ou não, foi praticamente mais de 24 horas”, concluiu.

Carlos ‘Boi’, de 25 anos, é um dos lutadores revelados na nova safra do peso-pesado. O brasileiro estreou pelo UFC em julho de 2020, quando foi derrotado por Sergey Spivak, e se recuperou ao superar Yorgan De Castro em outubro. Em sua carreira, o baiano disputou 10 combates, venceu nove, sendo seis por nocaute, e perdeu apenas uma vez.

Mais em Entrevistas