Siga-nos
exclusivo!
Natassia del Fischer/PxImages

Entrevistas

‘Bebezão’ aceita desafio de Carlos ‘Boi’ e provoca: “Vai se arrepender amargamente”

No fim de 2020, a USADA (agência antidoping americana) anunciou a suspensão de um ano para Raphael ‘Bebezão’ após o atleta ter sido flagrado em exame antidoping realizado em março do mesmo ano. O teste, coletado em período fora de competição, acusou o uso de hidroclorotiazida e seus metabólitos – substâncias que funcionam como diuréticos e agentes mascarantes, e que são proibidas. Com isso, o peso-pesado só poderá lutar a partir de março deste ano, e ele já adiantou que quando puder atuar estará pronto para resolver suas pendências com o compatritoa Carlos ‘Boi’, seu desafeto.

Ainda sem poder se apresentar normalmente no octógono mais famoso do mundo, ‘Bebezão’, primeiramente, fez questão de se defender. Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight, ‘Bebezão’ negou qualquer uso de substância proibida e admitiu que recebeu a notícia da sua suspensão por doping com espanto, pois estava sem luta naquele momento. O atleta revelou que tentou recorrer da punição, com o intuito de diminuí-la caso provasse que ingeriu algum produto contaminado.

“Fui pego de surpresa, porque tinha feito outras lutas e a USADA falou que ‘caí’ em março do ano passado e vou ser liberado no dia 3 de março agora. Isso embolou minha cabeça, porque é algo que nunca tomei, que foi diurético. Não sabia nem como explicar. Eu e a USADA ainda tentamos fazer algo para reduzir a pena, procurei os médicos para saber o remédio que tinha tomado, mas agora estou esperando acabar isso”, contou.

Mas assim que terminar o período de suspensão, ‘Bebezão’ parece disposto a não escutar mais as provocações de Carlos ‘Boi’. Desde que estreou no UFC, em 2020, o baiano mirou sua metralhadora de alfinetadas em direção a Raphael, que preferiu não rebater em um primeiro momento. Porém, meses depois, o carioca mudou seu discurso.

“O verdadeiro lutador lida com essa situação querendo lutar. Para mim era indiferente, não era interessante, mas agora vamos que vamos. Vamos para a guerra. Ele está fazendo minha propaganda de graça. Já que é o desejo dele, estou aí. Só temos que ver o que a gente deseja para a nossa vida. Muita gente pode desejar coisas ruins. Se o UFC casar (essa luta) estou aqui. Não tenho medo dele, logo de Carlos ‘Boi’. É guerra que ele quer, guerra que vai ter”, afirmou o peso-pesado do Ultimate, antes de completar.

“Falastrão às vezes se atrapalha. Admiro os caras antigos, que ficam calados. Não sou de fazer ‘trash talk’, meter uma de mau. Sou bem diferente. Vou provar tudo que ele está falando dentro do cage para ele. Ele vai se arrepender amargamente de ter desejado algo tão ruim para a vida dele”, concluiu o carioca que tem uma vitória e duas derrotas no UFC.

No MMA profissional desde 2016, Raphael ‘Bebezão’ acumula dez vitórias e duas derrotas na carreira. O lutador chegou ao Ultimate em 2018, mas conheceu seu primeiro e até então único revés ao ser superado por Ciryl Gane, em agosto de 2019. No entanto, na sequência, ele se recuperou do resultado negativo ao vencer Jeff Hughes por decisão unânime dos jurados, em outubro de 2020. Em sua última apresentação, em julho do ano passado, o brasileiro foi nocauteado por Tanner Boser no primeiro assalto.

Mais em Entrevistas