Siga-nos
exclusivo!
Rigel Salazar/PxImages

Entrevistas

Após briga e troca de treinadores, Mackenzie Dern exalta evolução na trocação

Em meio à preparação para o combate contra Randa Markos, que acontece neste sábado (19), no card principal do UFC Las Vegas 11, Mackenzie Dern se viu obrigada a fazer uma mudança drástica em seus treinamentos e recomeçar parte de seu camp em um novo ambiente. Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight, a peso-palha (52 kg) revelou que uma desavença com o treinador Juan Gomez – aparentemente motivada por questões financeiras – a levou a deixar a academia ‘Black House’ e iniciar um trabalho com o especialista em trocação Jason Parillo. O profissional já ajudou grandes nomes do MMA, como: Michael Bisping, Cris ‘Cyborg’, BJ Penn, Luke Rockhold, entre outros.

O fim da relação com o antigo técnico – que chegou a atacar fisicamente o marido de Dern, o surfista Wesley Santos -, no entanto, é visto pela lutadora como algo positivo. Em cerca de quatro semanas de trabalho com Jason Parillo, Mackenzie enxerga uma nítida evolução na trocação, até então seu calcanhar de aquiles no MMA. De acordo com a faixa-preta de jiu-jitsu, a experiência, ainda que curta, com o novo treinador a fez se soltar mais na luta em pé e até mesmo incorporar novas técnicas que não faziam parte de seu arsenal de ataques.

“Depois que ele (Juan Gomez) atacou o meu marido não dava mais para trabalhar com uma pessoa assim. Até hoje eu vou na Black House, faço uns treinos, deixamos as portas abertas, mas cortamos qualquer ponte com o Juan Gomez. E eu acho que foi para melhor. Hoje eu estou com o Jason Parillo, que já treinou vários campeões, tem uma vibe muito irada e eu sinto que já aprendi com ele muita coisa em quatro ou cinco semanas. Essa situação aconteceu bem no meio do camp, com quatro semanas. Troquei de coach e nessas quatro semanas (com o Jason Parillo) todo mundo já está comentando: ‘Poxa, você está outra pessoa, está mais solta, com a trocação completamente diferente, tentando várias coisas novas’. Eu estou muito ansiosa para mostrar uma Mackenzie muito mais focada e preparada”, contou Mackenzie, antes de completar.

“Não que a minha técnica era ruim com o meu outro treinador. Eu sou grata por tudo que aprendi com todos os meus treinadores, mas é um outro ponto de vista, um outro estilo de treino. De me deixar um pouco mais livre, me aventurar em novas técnicas, em coisas que eu sempre gostei, como o chute rodado, o superman punch. Esse técnico me deixa alcançar totalmente o meu potencial. Ele fez alguns ajustes, coisas pequenas, que fizeram meu soco sair com muito mais potência. Coisas que eu não sabia que poderia evoluir em tão pouco tempo. E a vibe também ajuda. É uma vibe diferente, sem pressão. E eu acho que o fato dele ter treinado tantos atletas de alto nível faz com que ele não coloque tanta pressão em mim, para que eu seja a atleta dele com maior atenção, maior mídia. O cara já viveu tudo isso”, explicou a americana, que representa o Brasil por ter dupla nacionalidade.

Mais confiante, a faixa-preta inclusive promete surpreender o público com sua apresentação na luta em pé no próximo sábado. Ciente de que sua adversária provavelmente vai evitar a luta de chão, especialmente por enfrentar uma atleta tão renomada na arte suave, Mackenzie aposta que sua evolução como striker permitirá que ela tenha um bom desempenho e, até mesmo, a ajude a encontrar brechas para levar o combate para o local onde é especialista, no solo.

“Com certeza, eu vou sempre priorizar o jiu-jitsu. Mas eu estou muito mais confiante em pé. E eu acho que a galera vai ficar bastante surpresa, porque nessa luta eu vou botar bastante pressão na trocação. A minha trocação hoje em dia vai ajudar a abrir espaço para as quedas, para mostrar o meu jiu-jitsu. Mas eu acredito que tenho muito mais chance de nocautear hoje em dia do que antes. Nessas quatro semanas mudou muito o meu jeito de pensar e o jeito que eu pretendo encarar essa luta”, declarou Dern, antes de comentar sobre sua expectativa quanto à estratégia de Randa Markos para o duelo deste sábado.

“Eu acho que ela vai ficar mais na trocação e no contra-ataque. Se ela assistiu a minha ultima derrota (contra Amanda Ribas), eu acho que ela pode acreditar que eu não gosto de levar soco na cara, porque eu estava meio que virando o rosto. Acredito que essa deve ser a estratégia dela, levar para os três rounds em pé. Acho muito difícil ela querer me levar para o chão”, concluiu.

Multicampeã no jiu-jitsu esportivo, Mackenzie Dern migrou para o MMA profissional em 2016 e desde então soma oito vitórias, sendo cinco por finalização, e apenas uma derrota, para Amanda Ribas, em outubro do ano passado. Neste ano, a faixa-preta já pisou no octógono do UFC uma vez, em maio, e saiu vencedora da disputa contra Hannah Cifers, ao finalizar a adversária com uma chave de joelho ainda no primeiro round.

Por sua vez, Randa Markos milita no MMA profissional desde 2012 e possui um cartel de dez triunfos, oito reveses e um empate. Em suas últimas quatro lutas pelo UFC, a lutadora nascida no Iraque alternou vitórias e derrotas, tendo sido superada por Amanda Ribas no confronto mais recente, disputado em março deste ano, na edição de Brasília (DF).

Mais em Entrevistas