Siga-nos

Vídeos

‘Borrachinha’ promete “meter a mão” em Adesanya caso seja provocado por desafeto

Paulo ‘Borrachinha’ segue invicto em sua carreira após 13 combates – Jason Silva/PXImages

Confirmado pelo próprio Dana White – presidente do Ultimate – como o próximo desafiante ao cinturão peso-médio (84 kg) da organização, Paulo ‘Borrachinha’ está presente em Las Vegas (EUA), onde será realizado neste sábado (7) o UFC 248, que terá na luta principal a disputa entre Israel Adesanya e Yoel Romero, pelo título da divisão. Disposto a subir no octógono após o combate para iniciar a promoção de sua próxima luta contra o vencedor, o brasileiro, no entanto, alerta para que o nigeriano, em caso de vitória, tenha cuidado com as provocações, já que a rivalidade entre eles ultrapassou o âmbito esportivo e chegou no aspecto pessoal.

A tensão entre os dois principais nomes do peso-médio tem crescido exponencialmente nos últimos meses, com fortes declarações trocadas pelos atletas. Recentemente, ‘Borrachinha’ tomou as dores inclusive da população americana e criticou o campeão da categoria por ter feito uma alusão ao atentado terrorista de 11 de setembro de 2001, em Nova York (EUA), em uma provocação a Romero publicada na sua conta oficial no ‘Twitter’. Por sua vez, Adesanya, sempre que possível, insinua que o brasileiro faz uso de anabolizantes e substâncias ilícitas em razão de seu físico mais encorpado.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight, o lutador mineiro sugeriu que a teoria levantada pelo desafeto para lhe atingir nada mais é do que sinal de despeito por não conseguir chegar ao mesmo físico apresentado por ele, e admitiu que, apesar de ter vontade de subir ao octógono após a disputa da luta principal do UFC 248, talvez esta não seja uma boa ideia, tendo em vista o ódio sentido pelo rival.

“Eu gostaria (de subir no octógono após a luta e provocar). Mas se me colocarem perto do Adesanya ali, eu meto a mão nele. Não estou nem aí. Eu meteria a mão nele se ele falar m***. Eu já não gosto dele, se ele mostrar o dedo para mim de novo, eu quebro ele lá dentro mesmo. Se ele aparecer aqui agora, eu arregaço ele, vou para cima dele. Me incomoda muito (o tipo de postura dele). Ele ofende, pessoalmente, ele é desrespeitoso. É pessoal (a rivalidade com Adesanya)”, esbravejou ‘Borrachinha’, antes de completar.

“Ele (Adesanya) vive mencionando (que eu uso anabolizantes). É incapacidade dele porque ele é muito magrelão, não tem o biótipo. Ele pode comer o que ele quiser, pode beber o que ele quiser, pode fazer o treino que ele quiser, inclusive até tomar algum tipo de anabolizante, que ele não vai ter o resultado. É o biótipo dele. Cada um tem um, ele é assim, magrelão. Nunca vai ter tanta potência, nunca vai ter tanta força. Então, ele acha que por eu ter feito a cirurgia e recuperado rápido, continuado forte, ficado mais forte do que eu estava, que eu estou tomando alguma coisa. Mas é incapacidade (dele). Eu também treino muito, tá? Acho que são algumas coisas: genética, disciplina, vontade, treinamento certo. Tenha uma equipe muito boa por trás, grandes médicos, nutrólogos, nutricionistas, preparadores físicos, fisiologista”, explicou o mineiro.

Paulo ‘Borrachinha’ vive situação idêntica a que passou em outubro de 2019, quando também tinha a garantia de ser o próximo desafiante ao cinturão peso-médio e foi acompanhar in loco a disputa entre Robert Whittaker e Israel Adesanya, que coroou o nigeriano, no UFC Austrália. No entanto, uma segunda cirurgia para tratar uma lesão em seu bíceps adiou seus planos de brigar pelo título da divisão. Agora, o brasileiro aguarda o vencedor do duelo entre o campeão, seu desafeto pessoal, e Yoel Romero, neste sábado, para descobrir quem será seu próximo adversário no octógono mais famoso do planeta.

Mais em Vídeos