Siga-nos
Diego Ribas/PxImages

UFC

Usman minimiza provocação de Covington e nega revanche: “Por que falar dele?”

Como Kamaru Usman amplia seu domínio nos meio-médios (77 kg) do UFC a cada aparição, a tendência é que revanches possam acontecer no futuro. No UFC 258, evento realizado no último sábado (13), em Las Vegas (EUA), o campeão da categoria nocauteou Gilbert ‘Durinho’, defendeu o cinturão pela terceira vez e desafiou Jorge Masvidal para um novo embate por reprovar a postura da vítima. Recentemente, Colby Covington criticou a atuação do nigeriano, que respondeu.

Em entrevista ao site ‘TMZ Sports’, Usman minimizou a provocação feita por Covington e ignorou a possibilidade de dar ao desafeto uma revanche. A dupla se enfrentou em dezembro de 2019 e, na ocasião, o campeão dos meio-médios do UFC nocauteou o desafiante no quinto round, em uma intensa batalha que agradou os fãs e Dana White. Contudo, ‘Chaos’ não aceitou o resultado e exigiu uma nova chance de encarar o número um da categoria. Ao tomar conhecimento do novo ataque feito pelo rival, ‘The Nigerian Nightmare’ fez pouco caso do mesmo.

“Eu sou a luta do dinheiro. Esses caras estão falando, mas sabem qual é a luta que vai dar mais dinheiro. É por isso que eles querem revanches. Todos querem me enfrentar, porque ganham mais dinheiro quando lutam contra o campeão. Covington pode dizer o que quiser. Pareci um lutador que está pronto para ser nocauteado? Mas ele não conseguiu. Por que estamos falando dele?”, declarou Usman.

Kamaru Usman defendeu o cinturão dos meio-médios do UFC três vezes e começou a ser comparado por parte da comunidade do MMA a Georges St-Pierre, antigo rei da categoria, por conta de seu domínio. A prova disso é a quantidade de triunfos sobre os integrantes do top-5 (Colby Covington, Gilbert ‘Durinho’, Leon Edwards e Jorge Masvidal). Após nocautear o brasileiro, ‘The Nigerian Nightmare’ superou ‘GSP’ no número de vitórias seguidas na divisão (13 contra 12).

Mais em UFC