Siga-nos

UFC

Max Holloway prega respeito para luta com Calvin Kattar: “Como posso ignorá-lo?”

Os fãs de MMA podem comemorar porque a temporada 2021 do UFC vai começar em alta, e Max Holloway parece mais do que disposto a encerrar a má fase. No dia 16 de janeiro, o ex-campeão do peso-pena (66kg) vai enfrentar Calvin Kattar, na ‘Ilha da Luta’, em Abu Dhabi (EAU), sabe que só a vitória interessa para permanecer vivo na briga pelo cinturão da categoria e leva o encontro a sério. Inclusive, o havaiano ignorou o status que possui no esporte e mostrou ter consciência do perigo que o rival representa.

Em entrevista ao site ‘Yahoo! Sports’, Holloway garantiu que não subestima Kattar, concordou que o atleta mereceu disputar uma grande luta como essa e elogiou seu boxe. O posicionamento do ex-campeão do peso-pena serviu como uma espécie de defesa, uma vez que o adversário o acusou de menosprezá-lo. Desde 2016, ‘Blessed’ participa de duelos que valem o cinturão e o atual quebra essa sequência, porém se engana quem pensa que o ex-número um da categoria não está motivado. O havaiano destacou que sua preparação foi a mesma dos áureos tempos e se mostrou ansioso para estar no octógono.

“No final do dia, estamos lutando cinco rounds. Não há menos trabalho. Tive a mesma quantidade de trabalho de uma luta pelo cinturão, as mesmas regras, repeti tudo. Kattar é perigoso e sabemos que ele é perigoso porque, estará na minha frente e estou animado. Ele é de Boston. As pessoas gostam de falar do boxe dele, do meu boxe, mas o engraçado é que Kattar disse algo como se eu estivesse subestimando, isso e aquilo. Eu não posso. Como posso ignorar você? Ele mereceu chegar até aqui e tenho que respeitar isso. Mal posso esperar para lutar com Kattar, para entrar no octógono e ver o que ele tem a oferecer”, declarou Holloway.

Max Holloway, de 29 anos, se tornou campeão do peso-pena em 2017, quando nocauteou José Aldo, em pleno Brasil, e defendeu o cinturão ao vencer o mesmo Aldo na revanche, Brian Ortega e Frankie Edgar. O havaiano só perdeu o título em 2019, quando encontrou Alexander Volkanovski. Na ocasião, foi derrotado por decisão unânime e, no segundo embate com o rival, levou a pior por decisão dividida.

Mais em UFC