Siga-nos
Louis Grasse/PxImages

UFC

Francis Ngannou critica tratamento do UFC e exige respeito: “Tentou me desmerecer”

A relação entre Francis Ngannou e o UFC segue estremecida. Quando o camaronês nocauteou Stipe Miocic na revanche e se tornou campeão do peso-pesado da companhia, em março, parte da comunidade do MMA especulou que seu reinado seria longo e próspero, porém sequer foi iniciado. E, de acordo com ‘The Predator’, a empresa é a culpada por sua demora para voltar à ação.

Ao participar do programa ‘The MMA Hour’, Ngannou expressou todo seu descontentamento com o UFC e não poupou críticas. Chateado por ter sido escanteado pela organização, o camaronês reclamou do tratamento que um campeão recebe e acusou a empresa de inventar situações para prejudicá-lo. O momento de maior crise na relação envolvendo o lutador e a companhia aconteceu quando Dana White anunciou a disputa pelo cinturão interino do peso-pesado entre Ciryl Gane e Derrick Lewis, conquistado pelo francês, em agosto.

Ao tomar conhecimento da disputa de um título interino na divisão que lidera, o camaronês questionou a companhia de forma pública, pois considerou o ato uma injustiça, já que Miocic atuou com menos frequência e o cinturão provisório nunca foi criado. Segundo ‘The Predator’, Dana tentou abalar sua reputação e diminuir suas conquistas ao informar que o próprio não queria lutar. No entanto, Ngannou ressaltou que sempre se colocou à disposição para pisar no octógono, mesmo em atrito com a empresa, pois ama seu trabalho. Apesar da relação conturbada com o UFC, o atleta indicou que seu objetivo é ser respeitado não pelo fãs e sim pela organização, uma vez que esteve ao seu lado a todo momento.

“O único problema é que sei que essa era a maneira de aplicar pressão e não parecia certo. Foi tão estranho que não parecia certo. O que me incomoda é o fato de que para promover aquela luta o UFC estava tentando tirar meu mérito, me desprestigiar. ‘Se você quiser sair de férias, vá e quando quiser lutar, estamos aqui’. Não, eu quero lutar e não estava de férias. Eles usam um vídeo para jogar esse jogo para fingir, me desmerecer e mostrar que eu estava de férias. Isso me incomoda porque não está certo. Sei que não é verdade, é só para controlar a narrativa. Não tenho nenhum problema se o UFC quer o cinturão interino, apenas faça sem me sabotar”, declarou o campeão do peso-pesado, antes de completar.

“Sem falar que o UFC tem que me dar tempo para ir para casa apresentar o cinturão para meu povo, para meu país, para minha família. Por que apressar tanto? Nos últimos dois anos lutei duas vezes e de repente tenho que defender meu título depois de dois meses? Qual é a pressa? O que está errado? Por que não posso ter o tempo de todos, três ou quatro meses? O que procuro? Em primeiro lugar, procuro algum respeito, para começar, procuro acertar as coisas, me sentir respeitado, sentir que o UFC se importa, pelo menos. É isso. Nunca pedi nada mais do que isso. Isso seria o suficiente para mim. Lutei pela posição em que estou. Não fui nomeado, não fui designado para estar aqui, eu mereci. Isso significa que mereço um pouco de respeito, apenas um pouco. Não sou grande coisa, apenas um pouco famoso, é isso”, concluiu.

Como Francis Ngannou é o campeão linear do peso-pesado do UFC e Ciryl Gane possui o título interino da categoria, a aguardada luta entre os ex-parceiros de treino deve acontecer no início da temporada 2022. A imprensa especializada especula que o encontro envolvendo dois dos principais nomes da divisão seja realizado na edição de número 270, em janeiro, ainda sem local definido.

Mais em UFC