Siga-nos
Diego Ribas/PxImages

UFC

Adversário de Michel Pereira contesta derrota: “Dançou mais do que lutou”

Se a temporada 2020 no MMA começou um tanto quanto conturbada para Michel Pereira, o mesmo não se aplica ao final dela. O brasileiro, que já tinha se recuperado da polêmica derrota diante de Diego Sanchez ao finalizar Zelim Imadaev, se despediu do ano ao frear a ascensão do perigoso ‘Khaos’ Williams no UFC, em dezembro. No entanto, o americano não aceitou a derrota por decisão unânime e criticou a postura do ‘Paraense Voador’.

Em entrevista ao site ‘MMA Fighting’, Williams expressou todo seu descontentamento com a primeira derrota na organização e não tem dúvida de que superou o brasileiro. ‘Khaos’ explicou que o fato de buscar o combate o colocou em vantagem, justamente, porque, segundo o atleta, Michel preferiu dançar no octógono do que lutar. O americano admitiu que poderia ter atuado melhor, mas destacou que venceu dois rounds claramente e que perdeu apenas o terceiro.

“Eu não teria levantado as mãos se não achasse que ganhei. Na luta, sempre há espaço para melhorias e  eu poderia ter feito melhor. Sou meu maior crítico. A principal razão pela qual senti que ganhei é porque trouxe a luta para ele. Quando você tem alguém dançando e fugindo de você, é difícil. Não fui tão agressivo como normalmente sou. Demorei e ele se movia muito. É uma luta e todos têm chance de nocautear, mas controlei as ações e ganhei todas as trocas. Toda vez que ele me bateu, o acertei três vezes. Sinto que ganhei. O terceiro round é o único que eu poderia dar a ele. Nem ele sente que ganhou a luta. Ele respeitou meu poder e fez uma luta inteligente”, declarou o americano, que voltou a criticar o algoz e também não perdoou o critério adotado pelos juízes laterais.

“Você pode ser o agressor, pode vencer a luta por todo round, mas os juízes olham apenas os últimos 30 segundos. Se você perguntar a 100 pessoas, 70% dirão que eu ganhei. Os outros 30% estão do lado dele, porque são fãs. Se você já esteve lá e é um lutador, sabe que ganhei. Você não pode vencer dançando. Definitivamente, sou o melhor e há espaço para melhorias. Gostaria de ter um pouco mais de volume, mas ele não fez nada. É um pequeno revés para um grande retorno. Não desanimei. Sou um vencedor e odeio perder. Isso me deixa ainda mais faminto e ainda acredito em mim e nesse talento dado por Deus”, concluiu.

‘Khaos’ Williams, de 26 anos, estreou no UFC em 2020 e chocou os fãs ao nocautear brutalmente em suas duas primeiras lutas pela organização. O americano precisou de apenas 27 segundos para passar por Alex Morono e de 30 para fazer o mesmo em Abdul Razak Alhassan. No entanto, em dezembro, a promessa dos meio-médios conheceu sua primeira derrota na companhia pelas mãos de Michel Pereira e, com isso, sua aproximação do top-15 da categoria foi adiada.

Mais em UFC