Siga-nos
Matt Davies/PxImages

Notícias

Larissa Pacheco abre as portas para quarta luta com Kayla Harrison: “A hora que ela quiser”

Na última sexta-feira (25), Larissa Pacheco chocou o mundo ao vencer a até então invicta Kayla Harrison, na final do torneio peso-leve (70 kg) feminino do PFL. Mas, apesar da excelente atuação diante da bicampeã olímpica, a brasileira não ficou totalmente satisfeita com seu desempenho dentro do cage e promete manter sua evolução já de olho em um possível novo encontro com a americana no cage.

Logo após o fim do evento promovido pelo PFL em Nova York (EUA), Larissa participou da coletiva de imprensa pós-show e admitiu que nem tudo o que havia sido trabalhado por ela e sua equipe saiu como planejado durante a luta. Sendo assim, já antecipando e se colocando à disposição para aceitar um novo embate contra a rival, a paraense promete trabalhar com ainda mais intensidade para corrigir as pequenas falhas e voltar ainda melhor em um possível quarto duelo contra Harrison.

“Foi boa, mas não estou contente com as minhas defesas (de quedas). A gente treinou muito isso, treinei muita defesa de queda, treinei muito outras coisas também que não funcionaram. Mas eu acreditei até o final na estratégia da luta, que era manter a distância e defender a queda. Então, quando eu comecei a defender mais (as quedas) e vi que ela já estava mais quebrada, eu ganhei mais confiança. Agora eu vou trabalhar mais, porque eu sei que ela vai voltar mais forte. E a revanche é dela, a hora que ela quiser. Então, vamos trabalhar para cada vez sair melhor em cada luta”, afirmou a nova campeã do PFL.

Larissa Pacheco e Kayla Harrison já haviam se enfrentado em duas outras oportunidades no passado, ambas vencidas pela americana. No terceiro capítulo da trilogia entre elas, no entanto, a brasileira conseguiu frustrar boa parte do jogo de quedas e domínio no solo da adversária, além de se impor na trocação e ameaçá-la também na luta agarrada, levando para casa a vitória, o título da temporada e o prêmio de 1 milhão de dólares (cerca de R$ 5,4 milhões).

Mais em Notícias