Siga-nos

Notícias

Dispensado pelo UFC, BJ Penn sinaliza com aposentadoria: “Nessa idade, dá muito trabalho”

BJ Penn acumula sete derrotas consecutivas em suas últimas apresentações – Leandro Bernardes

Ao que tudo indica, BJ Penn deve mesmo encerrar a carreira sem fazer uma última luta de despedida. Dispensado pelo UFC em setembro do ano passado após mais uma de suas polêmicas fora dos octógonos, o veterano admitiu – em conversa com seu treinador de longa data, Jason Parillo, pelo ao vivo do ‘Instagram’ – que não sente a mesma motivação para se preparar para um combate, o que deve significar sua aposentadoria definitiva do MMA.

Ex-campeão do peso-leve (70 kg) e dos meio-médios (77 kg) do UFC, BJ tem colecionado resultados negativos dentro do octógono e incidentes desagradáveis fora dele nos últimos anos. Sua última vitória veio em novembro de 2010, quando nocauteou Matt Hughes, na edição 123 do Ultimate. Desde então, o veterano somou sete derrotas e um empate. Todo o desgaste sofrido em quase 20 anos de MMA, e especialmente os danos recebidos recentemente nos reveses, coloca um ponto de interrogação na cabeça do lutador, atualmente com 41 anos, sobre a continuidade ou não de sua carreira.

“Dá muito trabalho. Exige muita coisa. É trabalho para c***. Nessa idade, isso apenas dá muito trabalho. Você nunca sabe o que vai acontecer, mas isso requer muito trabalho. Existem muitas pessoas me dizendo para lutar novamente. Outras pessoas me dizem para não lutar de novo. É muita coisa para digerir”, contou Penn, antes de continuar.

“Eu acho que quando você tem algo para provar, é aí que você luta melhor. É tipo: ‘Cara, você já se provou’. Não é sobre me provar, eu realmente gosto de fazer isso (lutar). Mas você não pode ir lá e continuar se machucando. Isso não faz sentido para ninguém”, explicou o havaiano.

Caso escolha continuar competindo, mesmo que apenas para fazer a última luta de sua carreira, Penn precisará procurar outra organização para promover seu desejo. Sem dar resposta dentro dos octógonos e com um extenso histórico de problemas com a lei em sua vida pessoal, o havaiano acabou demitido pelo UFC após a divulgação de um vídeo no qual aparecia em uma briga de rua no Havaí (EUA), apenas mais uma da lista recente. Os incidentes podem ter haver com a dificuldade em se desligar da carreira de lutador e seguir um novo rumo, como o próprio veterano admitiu.

“Se eu conseguir que alguma coisa aconteça seria legal. Se eu conseguisse ter alguma outra coisa além de luta acontecendo na minha vida, isso seria legal. Mas é tão legal e eu amo o processo e todas as coisas sobre isso. Depois você entra na academia e começa a ir bem contra lutadores ativos, e a próxima coisa que você vê é que você está tentando lutar e mordendo mais do que eu poderia mastigar. Você pode ser capaz, ou você pode não ser. Mas o processo em si, é muito mais do que só fazer um camp ou sei lá”, concluiu.

Com sua carreira no MMA quase toda feita dentro do UFC, o ex-campeão dos leves e dos meio-médios da organização soma 16 vitórias, 14 derrotas e dois empates em seu cartel. Além de algumas brigas de rua, o histórico recente de polêmicas em sua vida pessoal incluem um acidente de carro, onde supostamente estava dirigindo sob influência, e acusações de violência doméstica por parte de sua ex-companheira.

Mais em Notícias