Siga-nos
Divulgação/Bellator

Notícias

Cris ‘Cyborg’ rebate bicampeã olímpica que a acusou de ‘fugir’ de confronto

Uma rivalidade parece estar aflorando cada vez mais no MMA feminino mundial. Principais estrelas do gênero no Bellator e no PFL, respectivamente, Cris ‘Cyborg’ e Kayla Harrison passaram a trocar provocações após ambas demonstrarem interesse em uma possível superluta entre elas, e o clima parece ter esquentado.

Em entrevista recente ao site ‘MMA Mania’, Kayla acusou a brasileira de não ter interesse real em enfrentá-la, alegando que quando a campeã peso-pena (66 kg) do Bellator estava livre no mercado, após deixar o UFC, optou por não assinar com o PFL, entidade da qual a americana faz parte e onde ambas seguramente acabariam medindo forças.

Através de sua conta oficial no ‘Twitter’ (veja abaixo ou clique aqui), a curitibana rebateu a ex-judoca bicampeã olímpica e provocou a rival ao lembrar que, por conta do cancelamento da temporada 2020, Harrison passou o ano inteiro sem competir sob a bandeira da liga com a qual possui contrato.

“Eu fiquei decepcionada porque obviamente ela é uma das melhores. Eu quero me testar, quero me desafiar. Quero provar que eu sou a melhor, não apenas para mim mesma, mas para todo mundo. Mas eu não fiquei surpresa, eu sabia que ela assinaria com o Bellator porque eu sabia que ela estaria mais confortável lá. Agora ela está dizendo que quer me enfrentar, mas ela teve a oportunidade de me enfrentar ano passado. Ela fala muito, mas não assina na linha pontilhada”, provocou Kayla, em entrevista ao ‘MMA Mania’.

“Eu não sei. Quantas vezes Kayla Harrison lutou pelo PFL em 2020? Eu só coloco minha assinatura quando conta”, respondeu Cyborg.

Em razão da pandemia do novo coronavírus, o PFL cancelou todo o calendário de eventos em 2020, deixando inúmeros atletas insatisfeitos com a decisão, incluindo a americana Kayla Harrison, campeã da temporada 2019 do peso-leve (70 kg) feminino. Como forma de amenizar o descontentamento de sua estrela, a liga emprestou a ex-judoca ao Invicta FC, onde a lutadora acabou vencendo Courtney King, em novembro do ano passado, na primeira aventura da atleta da ‘American Top Team’ no peso-pena.

Por sua vez, Cris ‘Cyborg’ subiu duas vezes no cage do Bellator em 2020, conquistando o título peso-pena da organização em sua primeira apresentação, diante de Julia Budd, em janeiro, e defendendo sua cinta contra Arlene Blencowe, em outubro. A conquista transformou a curitibana na primeira atleta na história a ostentar cinturões de quatro grandes organizações de MMA: Strikeforce, Invicta FC, Bellator e UFC.

Mais em Notícias