Siga-nos
Diego Ribas/PxImages

Eventos internacionais

Ex-campeão do UFC pede para o ONE reverter desqualificação: “Venci a luta”

Eddie Alvarez se encontra no centro de uma polêmica no ONE Championship. Na última quarta-feira (7), em show realizado em Kallang (SIN), o ex-campeão do peso-leve (70 kg) do UFC sofreu uma derrota por desqualificação para Iuri Lapicus e o resultado gerou discussão na comunidade do MMA. Ao tomar conhecimento da repercussão do desfecho da luta, o veterano informou que vai apelar contra a decisão do árbitro.

Na coletiva de imprensa pós-‘ONE Championship on TNT’, Alvarez indicou que o profissional se precipitou ao aplicar o cartão vermelho, que simboliza a desqualificação. Na luta, o ex-campeão do peso-leve do UFC quedou Lapicus e, uma vez que ficou por cima do adversário, atacou com uma sequência de socos. Imediatamente, o romeno acusou que os golpes do oponente acertaram sua nuca, o árbitro interrompeu o confronto e decretou a vitória de Lapicus. Insatisfeito com a decisão, o veterano se defendeu.

De acordo com Alvarez, seus ataques foram legais, uma vez que acertaram a orelha do adversário. O ex-campeão do UFC admitiu que, como os protagonistas de uma luta precisam tomar decisões rapidamente, uma parcela dos resultados acaba sendo prejudicada, mas citou a reação de parte da imprensa e dos fãs de MMA como prova de que não cometeu erros contra Lapicus. Dessa forma, ‘The Underground King’ se proclamou vitorioso no duelo.

“Voltei para o meu quarto e pude assistir a luta. Foi uma decisão ruim do árbitro. A imprensa americana está em alvoroço agora, assim como os fãs americanos. Vou respeitosamente pedir para o ONE reverter o resultado. Tudo que importa é a segurança de Lapicus. No cage, as emoções ficam à flor da pele. O árbitro e os lutadores tomam decisões ruins. Acho que foi uma má decisão. Só quero ter certeza de que o ONE vai corrigir isso”, declarou Alvarez, antes de completar.

“O que aconteceu não está certo. Não vejo como não pode ser revertido. Você tem que tomar decisões em uma fração de segundo e o replay mostra que tudo foi feito corretamente. Ganhei de forma justa. Eu venci. Só espero que o ONE olhe para isso e reverta a decisão. A imprensa americana e outras mídias sabem o que eu fiz e estão irritados com o resultado. Estou no ONE para fazer história. Não quero brigar ou ficar com raiva. Só quero a verdade”, concluiu.

Contratado a peso de ouro pelo ONE Championship, Eddie Alvarez, de 37 anos, ainda não convenceu na organização asiática, tanto que segue fora do top-5 do peso-leve. O americano estreou em 2019 pela franquia, disputou três lutas e perdeu duas, sendo a mais recente de forma controversa.

Mais em Eventos internacionais