Siga-nos
exclusivo!
Reprodução/Instagram

Entrevistas

Treinador de jiu-jitsu de Alexa Grasso explica evolução da atleta na arte suave

O MMA é um esporte que obriga os lutadores a constantemente evoluir e, quem não consegue, fica para trás. No UFC, Alexa Grasso é uma das atletas que vem surpreendendo parte dos fãs. A mexicana ganhou destaque na modalidade por conta de seu bom nível na trocação, mas, nas últimas lutas, mostrou evolução no grappling. E um dos pilares da transformação da profissional é o brasileiro Diego Lopes.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight, Diego, lutador de MMA e responsável por afiar o jiu-jitsu de Grasso na academia Lobo Gym, no México, relatou a trajetória de sua atleta na arte suave. Inclusive, o faixa-preta da modalidade revelou que o início da mexicana nos esportes de combate não foi no boxe e sim na luta agarrada.

Em sua última luta, realizada em fevereiro, Grasso mostrou que os treinos com Diego estão dando resultado. Quando foi derrubada por Maycee Barber, a mexicana caiu por baixo da adversária. No entanto, a atleta não se desesperou, reverteu a posição e quase finalizou a rival ao aplicar uma chave-de-braço e um katagatame. De acordo com o brasileiro, a perícia de Alexa no jiu-jitsu pode ser vista com mais frequência no octógono.

“Muitas pessoas não sabem, mas a Alexa começou lutando campeonatos de jiu-jitsu aqui no México. Antes, eu só trabalhava com a Irene Aldana por causa do peso e da altura. A Alexa trabalhava com meu irmão, Alessandro Costa, faixa preta de jiu-jitsu. Nas duas últimas lutas da Alexa, eu fiquei responsável 100% pela parte de chão e o resultado tem sido muito bom. Ela começou a mostrar mais seu jiu-jitsu e pegou confiança. Nos entendemos muito bem como professor e aluna e ela depositou sua confiança no meu trabalho. O ponto forte da Alexa é sua determinação para aprender, a vontade de evoluir constantemente e crescer no UFC”, declarou Diego, antes de completar.

“Minha aproximação com ela foi quando seu professor e tio, Francisco Grasso, me convidou para fazer um seminário de jiu-jitsu na academia deles. Terminando o seminário, ele me convidou para treinar com eles quando eu quisesse. Passou mais ou menos um ano e eu vim treinar com eles. Fiquei responsável pela parte do jiu-jitsu”.

O momento atual do México no MMA é bom e, para Diego, é fruto de muito trabalho. Após a última vitória de Alexa no UFC, Dana White sinalizou que a atleta poderia se tornar uma Ronda Rousey do país. Além de Grasso, Brandon Moreno é outro lutador que representa os mexicanos e também se destaca na organização.

Apesar do elogio feito pelo cartola, o brasileiro adiantou que Alexa não se deslumbra com os bons resultados. O manauara também cravou que, em breve, mais profissionais do México vão marcar presença no UFC, pois o esporte ganha força no país.

“É uma motivação para qualquer atleta ser comparada com a Ronda, mas a gente está focado na Alexa representar bem o México. O cinturão sempre foi o objetivo e vai continuar sendo. Vamos escalar o ranking até essa oportunidade. Só queremos estar prontos. Tenho quase seis anos morando no México e noto a evolução nos últimos anos. Fico muito feliz em saber que estou contribuindo um pouco com isso. Tenho minha academia e tenho muitos atletas profissionais. Minha ideia é ajudar para chegarem ao nível mais alto. O trabalho que temos feito nos últimos anos tem dado resultado. Tenho lutadores campeões em alguns eventos”, concluiu.

Natural de Manaus, Diego Lopes, de 26 anos e representante da Lobo Gym, é campeão do Lux Fight League, e seu registro no MMA é de 18 vitórias, sendo a maior parte delas por via rápida, e três derrotas. O peso-pena (66 kg) é um dos principais nomes no circuito mexicano e possui triunfos sobre Marco Beltrán e Rony ‘Jason’, ex-lutadores do UFC.

Mais em Entrevistas