Siga-nos

Entrevistas

Sheymon Moraes revela que trabalhava como motorista dias antes de luta no PFL

A vida dos lutadores de MMA, mesmo os que competem em alto nível, nem sempre é consolidada financeiramente. É comum se deparar com histórias de atletas que se desdobram em outra função para conseguir manter a carreira em atividade. Sheymon Moraes, ex-UFC e atualmente no PFL, vivia essa realidade dias atrás. Antes de receber o chamado da companhia para encarar Marlon Moraes de última hora, o brasileiro revelou, em entrevista exclusiva à Ag Fight, que vinha atuando como motorista de aplicativo da rede ‘Uber’.

Após vencer Marlon por nocaute na última sexta-feira (25), em show realizado no ‘Madison Square Garden’, em Nova York (EUA), Sheymon admitiu que viveu uma temporada complicada do ponto de vista financeiro em 2022. Com a perspectiva de competir no ‘GP’ dos pesos-penas (66 kg) do PFL no ano seguinte, o brasileiro precisou conciliar os treinos com uma rotina pesada de trabalho diário como motorista a fim de levantar fundos para investir em sua carreira.

“Como o imposto de renda veio pesado esse ano, tive que pagar umas contas também, então tive que começar a dirigir para poder mexer no dinheiro pro camp do ano que vem, do torneio. Então decidi dirigir esse finalzinho de ano para ajudar e pagar a viagem para o Brasil, dirigindo Uber. Passagem pro Brasil está 2 mil dólares por pessoa, e lá em casa são três, então 6 mil dólares, que é um dinheiro que aqui você demora uns 3 meses para gastar. Para ganhar, então, nem se fala (risos)”, revelou, em tom bem humorado.

A possibilidade de ‘rodar’ como motorista da rede Uber foi levantada por amigos de Sheymon, que aconselharam o lutador a atuar na função, pois lhe renderia uma boa quantia. Sendo assim, o atleta de São Gonçalo se mudou temporariamente para Los Angeles para trabalhar na região, antes de ser convocado pelo PFL para substituir Shane Burgos, machucado, e medir forças com Marlon Moraes.

“Aí pensei: ‘Vou para Los Angeles, dirigir lá’. Tenho amigos lá que falaram que estava bom, dando para fazer 3 a 4 mil por semana dirigindo 12h por dia no aplicativo. E foi isso que eu fiz (…) Tinha dias que dormia no carro. Levantei um dinheiro, quando voltei de lá, que ia ficar uma semana no Arizona com a família, eu recebi a ligação da luta. Caiu como uma luva e graças a Deus deu tudo certo”, celebrou o brasileiro.

Esta foi a segunda vez que os caminhos de Sheymon e Marlon se cruzaram em um cage de MMA. Na primeira oportunidade, em 2015, no ‘WSOF’, ‘Magic’ levou a melhor por finalização no terceiro assalto. Com o mais recente resultado, desta vez no PFL, o retrospecto entre os dois agora está empatado.

Mais em Entrevistas