Siga-nos
exclusivo!
Divulgação/PFL

Entrevistas

Raush Manfio celebra vaga na final do PFL e revela ‘arma secreta’ para superar rival

Na última sexta-feira (13), Raush Manfio garantiu vaga na final do torneio peso-leve (70 kg) da temporada 2021 do PFL, ao derrotar o americano Clay Collard, na decisão unânime dos juízes. Na grande decisão, o brasileiro terá pela frente Loik Radzhabov, vice-campeão da liga em 2019 e um ‘velho conhecido’ do atleta da equipe ‘American Top Team’. Já tendo superado alguns dos principais nomes da competição, Manfio chega para o duelo contra o lutador do Tajiquistão esbanjando confiança.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag Fight, Raush celebrou a vitória na semifinal sobre Collard, a qual classificou como a luta mais dura do torneio, e destacou o fato de definitivamente ter colocado seu nome em evidência após passar por adversários tão renomados, como o ex-campeão do UFC Anthony Pettis, seu rival na última rodada da fase de classificação.

Já de olho na decisão do torneio contra Loik Radzhabov, marcada para o dia 27 de outubro, o peso-leve garantiu que terá tempo suficiente para se preparar e destacou algumas prováveis vantagens que terá sobre seu adversário. Entre elas, uma ‘arma secreta’ que promete ser de grande ajuda em seu camp. Em 2019, ao auxiliar o amigo e companheiro de equipe Natan Schulte – bicampeão do PFL – durante sua preparação para a final do campeonato, Raush emulou o jogo do rival durante os treinos com o compatriota na ‘American Top Team’.

“Com certeza, terei tempo mais do que o suficiente pra me preparar pra final. Sou um lutador com uma resistência grande, consigo crescer a cada round. Acho até que tenho que me aquecer mais no vestiário pra entrar no primeiro round como se já fosse o segundo. Pra lutar com o Loik, é tempo mais do que suficiente. Ele é um lutador duro, mas acho que o jogo dele casa com o meu. O Loik é perigoso no primeiro round, mas o desempenho dele cai nos outros (rounds)”, analisou Raush, antes de revelar já ter estudado o jogo do adversário anteriormente.

“O Natan (Schulte) é meu irmão, é padrinho da minha filha. Quando ele lutou com o Loik, eu fiz o jogo dele pra ajudar e, graças a Deus, o Natan venceu. Estudei o Loik pra ajudar o Natan. Não sei se será ele que vai me ajudar agora (nos treinos), porque ele está com uma filha recém-nascida e esta tirando um tempo de férias, mas, de suporte emocional, sei que posso contar com ele. Ele esta me ajudando mais do que mereço”, contou.

Além de escrever seu nome na história do PFL e manter a hegemonia brasileira no peso-leve da liga, Raush Manfio pode embolsar um milhão de dólares (cerca de R$ 5,2 milhões) caso vença Loik Radzhabov) e conquiste o título da temporada 2021. Questionado sobre se já tem uma ideia do que fazer com o dinheiro da premiação, o peso-leve descartou ter a intenção de gastar com artigos de luxo e revelou que tem o desejo de multiplicar o valor que pode receber e, como um homem religioso, usá-lo para poder ajudar ao próximo.

“Sou um homem bem conservador. Mas eu almejo a riqueza financeira há muito tempo. Apesar de não querer uma Ferrari, por exemplo, – eu não tenho ambição nenhuma disso – mas eu quero ser um abençoador de vidas realmente. Eu sou cristão e acho que aquilo que Deus nos dá, é para a gente ter um rio, não uma represa. Então, aquilo que Deus colocar nas minhas mãos, eu quero ajudar as pessoas à minha volta, as igrejas, a obra missionária”, revelou Raush, antes de continuar.

“Sabe aquela história de: ‘Ah não, é dinheiro demais. Para mim, já está bom’. Não, para mim não. Porque sempre vai ter gente precisando. Sempre vai ter gente fazendo um trabalho sério de obras missionárias. Então, quanto mais dinheiro eu tiver, melhor. Sempre terá gente precisando. Eu sei o estilo de vida que quero ter, mas sei que tenho muita gente pra ajudar. Se Deus colocar muito na minha mão, eu quero multiplicar. Esse é meu plano. Não tenho duvida que esse milhão vai virar vários milhões”, concluiu.

Aos 29 anos, Raush Manfio soma 14 vitórias e três derrotas em seu cartel no MMA profissional, onde compete desde 2011. Para garantir a vaga na final do torneio peso-leve da temporada 2021 do PFL, o brasileiro superou Joilton Lutterbach, Anthony Pettis e Clay Collard, respectivamente, todos por pontos.

Mais em Entrevistas