Siga-nos

Entrevistas

Rafael dos Anjos mostra confiança para duelo com Makhachev: “Sou mais lutador”

Rafael dos Anjos terá uma missão de extrema importância no peso-leve (70 kg) do UFC. Na edição de número 267, que acontece em outubro, em Abu Dhabi (EAU), o ex-campeão da categoria vai enfrentar Islam Makhachev e o vencedor deve ficar próximo da posição de desafiante número um da divisão. Empolgado com o combate, o veterano mostrou confiança para encarar o rival e amigo de Khabib Nurmagomedov.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight (veja acima ou clique aqui), o ex-campeão abriu o jogo, contestou a entrada de Makhachev no top-5 do peso-leve do UFC e afirmou que é melhor do que o rival. Vale destacar que o russo chegou a tal posição ao vencer Thiago Moisés, quando era o nono no ranking da categoria e o adversário o 14ª na tabela de classificação.

Disposto a enfrentar os melhores lutadores para se aproximar de disputar o título do peso-leve novamente, o brasileiro revelou que Makhachev não era seu alvo preferencial. No entanto, como o russo ascendeu no ranking, Rafael aceitou o combate para aproveitar o momento de destaque do mesmo e porque, ao contrário de parte dos atletas, não o teme, uma vez que lidou com adversários de alto nível durante sua carreira.

“O Makhachev estava atrás no ranking, mas, de repente, deu um pulo e está na minha frente. Infelizmente, o UFC está assim agora. Todos querem lutar com quem está na frente para conseguir uma posição melhor. Mas antes, eu estava visando o Chandler, o Gaethje. Na época o Gaethje pensava que lutaria pelo cinturão e o Chandler falou que lutaria só em dezembro e eu precisava lutar. Sou melhor lutador que o Makhachev, fui mais testado do que ele, já passei por diversas situações, lutei com todos que você pode imaginar, lutei pelo título em duas categorias. Estou em uma fase boa, com vontade, fiz mudanças drásticas na minha carreira, mudei para o Rio, estou morando no Brasil de novo, estou focado. Quero ser campeão de novo e vou ser”, declarou ‘RDA’.

A luta entre o veterano e a promessa é aguardada com expectativa por parte da comunidade do MMA, pois coloca frente a frente dois tops do peso-leve do UFC e que são rivais. Inclusive, o duelo caiu duas vezes, porque o brasileiro testou positivo para a COVID-19 e pela lesão do russo. Agora, os desafetos estão alinhados novamente para encerrar a rivalidade.

De acordo com o ex-campeão do peso-leve, esta é a luta ideal para se consolidar como uma ameaça na categoria, já que é mais velho do que os demais candidatos ao título. Mesmo classificando Makhachev como um lutador de bom nível, o profissional deu a entender que o russo teria dificuldade para crescer na divisão, caso não tivesse o apoio das estrelas Daniel Cormier, Khabib Nurmagomedov e o aparato disponível na ‘American Kickboxing Academy’.

“Nós temos falado besteira na internet, mas, finalmente, vamos acertar as contas. Será uma luta boa para me botar no mix, ainda mais agora que ele está com o hype em cima dele. Vou mostrar que estou vivo, que estou no jogo ainda. Tenho total confiança que vou ganhar do Makhachev. Quando você tem caras como o Khabib no corner, o Cormier falando o tempo inteiro, cria ainda mais hype. Eu até dou como exemplo o Dariush. Ele ganhou dos mesmos caras que o Makhachev, melhor ainda, foi mais convincente, mas ninguém fala dele. Ele ganhou do Thiago e foi para quinto no ranking”, analisou o veterano.

Como a luta entre os tops do peso-leve é importante para a categoria e pode elevar o vencedor ao status de desafiante número um da divisão, Rafael informou que pediu para o combate ser realizado em cinco rounds, porém Makhachev discordou.

Experiente no MMA, o brasileiro sinalizou que tal postura do rival escancara sua tática no octógono. Apesar de ter uma idade avançada para praticar artes marciais, o ex-campeão é conhecido por seu jogo de pressão e por suportar bem os rounds, enquanto a promessa está acostumada a atuar em 15 minutos e não durante 25.

“Pedi uma luta de cinco rounds, mas ele não quis, quer lutar três rounds. Isso me diz também um pouco da estratégia que ele está para vir, possivelmente, de segurar a luta, fazer um jogo mais truncado. Vou chegar bem para três rounds, mas queria lutar cinco. Ele não acha que será campeão? Tem que estar preparado para lutar cinco rounds. Não rolou, mas vamos com tudo”, concluiu o ex-campeão do peso-leve do UFC.

Mais em Entrevistas