Siga-nos

Entrevistas

Larissa Pacheco responde provocação de Aspen Ladd: “É uma mosquinha”

Em novembro, em Nova York (EUA), Larissa Pacheco venceu a rival Kayla Harrison pela primeira vez na carreira e, agora, pode ter encontrado uma nova opositora no PFL. Campeã do peso-leve (70 kg) da companhia, a brasileira mal teve tempo para desfrutar do feito e já foi provocada por Aspen Ladd. Como agora é o rosto do MMA feminino da empresa, a paraense não deixa o ataque da americana sem resposta.

No mesmo evento do PFL no qual Larissa chocou o mundo e tirou a invencibilidade de Kayla no MMA, Ladd estreou na organização com vitória por decisão dividida sobre Julia Budd. E, após encerrar a sequência de duas derrotas, quando ainda atuava pelo UFC, a americana readquiriu confiança. Tanto que a atleta afirma que o cartel e o currículo das estrelas da ‘Professional Fighters League’ não são nada em comparação com os dela.

Portanto, em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight (veja acima ou clique aqui), foi a vez de Larissa menosprezar a americana. De acordo com a brasileira, Ladd não deve apelar para o ‘trash talk’, pois costuma deixar a desejar antes mesmo de lutar e, em combate, também não assusta. Vale pontuar que, no UFC, Aspen não conseguiu transformar seu status de promessa do MMA em realidade e apresentou tantos problemas para bater o peso dos galos (61 kg), que acabou cortada pela companhia. Com o conturbado histórico da atleta no esporte, Pacheco questionou o que ela fez em ação para bradar que possui mais feitos do que ela e Kayla na carreira.

“Um momento ruim da minha careira, quando as pessoas me julgaram e eu assumi a consequência disso, foi quando não bati o peso. Ela é uma atleta que está acostumada a não bater o peso. Ela saiu do UFC e não chegou nem no cinturão. Cadê as formas expressivas? Assim, para eu falar, tenho que ter bagagem para falar, mas a gente só tem notícia dela que ela não bateu o peso. Então, é uma mosquinha só. Ela não tem moral”, declarou a campeã do PFL.

Larissa Pacheco, de 28 anos, se transformou em fonte de inspiração para as mulheres no MMA. Depois de perder duas lutas para Kayla Harrison, a brasileira foi para a trilogia no PFL como grande ‘zebra’, segundo as casas de apostas, mas não se deixou abalar por tal status e chocou o mundo ao superar a rival pela primeira vez no esporte por decisão unânime. Com o triunfo, a paraense levou para a casa o cinturão do peso-leve da companhia e o cheque no valor de um milhão de dólares (cerca de R$ 5,2 milhões).

No MMA, a atleta possui um cartel composto por 19 vitórias, sendo 17 pela via rápida, e quatro derrotas. Seus principais triunfos foram sobre Irene Aldana, Karol Rosa, Kayla Harrison e Sarah Kaufman.

Mais em Entrevistas