Siga-nos
exclusivo!
Natassia del Fischer/ PxImages

Entrevistas

José Aldo descarta ida para outra organização e promete se aposentar no UFC

Vindo de três derrotas consecutivas, a pior sequência de sua vitoriosa carreira, José Aldo encara o equatoriano Marlon ‘Chito’ Vera neste sábado (19), no co-main event do UFC Las Vegas 17, em busca de recuperação. Um triunfo sobre o adversário, além de potencialmente impulsionar uma nova corrida por uma disputa de título, pode ser fundamental para que o ex-campeão peso-pena (66 kg) mantenha vivo um desejo pessoal de enorme significado para ele.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag Fight, o ‘Campeão do Povo’ deixou claro que, apesar de ainda não pensar na aposentadoria, pretende pendurar as luvas como membro do plantel da organização na qual teve suas maiores glórias, durante os anos em que dominou a divisão dos penas e era considerado um dos melhores lutadores do mundo peso-por-peso. Portanto, espantar a má fase de resultados a partir do compromisso deste sábado torna-se ainda mais importante para o manauara.

Em um momento onde o UFC promove uma espécie de renovação do seu quadro de atletas, com a dispensa de algumas de suas estrelas com a idade mais avançada, como nos casos de Anderson Silva e Yoel Romero, é possível conjecturar que um novo revés poderia colocar Aldo em uma situação desconfortável quanto ao seu futuro na organização. Futuro este que, de acordo com o irredutível lutador, só deve acontecer dentro do Ultimate.

“Jamais, jamais. Eu não penso nem em estar longe (do UFC). Amanhã, se meu contrato acabar, eu renovo com o UFC só para ficar no Ultimate. Eu comecei e quero terminar dentro do UFC. Não é questão de dinheiro. Graças a Deus, eu pude me preparar para esse momento de viver pós-luta, após a vida profissional. Então, jamais me passa pela cabeça lutar por outra organização”, descartou Aldo.

Além de se manter na principal organização de MMA do mundo, Aldo não traça grandes metas a longo prazo. Ainda que mantenha vivo o sonho de voltar a ser campeão pelo UFC, o manauara destacou que seu foco atual é vencer uma luta de cada vez, para quem sabe no futuro, voltar a disputar o título dos pesos-galos (61 kg).

“Hoje em dia eu não penso em cinturão, não penso em nada, só penso em vencer lutas. Esse é o meu objetivo: vencer, vencer, vencer”, declarou o flamenguista declarado, citando – consciente ou inconscientemente – parte do hino do seu clube de coração.

A sonhada nova conquista esteve perto de se concretizar em julho deste ano, quando Aldo disputou o cinturão vago dos galos contra o russo Petr Yan, no UFC 251, realizado na ‘Ilha da Luta’, em Abu Dhabi (EAU). Porém, apesar de ter tido bons momentos, especialmente nos rounds iniciais da peleja, o brasileiro acabou superado pelo rival no último assalto.

“Ficou muito próximo da gente, passou perto da gente ter vencido. O resultado não veio, mas ficou muito próximo. Mas faz parte. Isso é um esporte, então às vezes acontecem coisas que a gente não espera. Mas bola para frente. Acho que eu tenho idade ainda. A gente está buscando cada vez mais aprimorar as técnicas e aprender com pessoas novas também, para nos qualificar para algo maior que seja o título no futuro”, concluiu.

No MMA profissional desde 2004, José Aldo soma 28 vitórias e sete derrotas em seu cartel. Ex-campeão peso-pena do WEC, o manauara estreou no UFC em 2011 e reinou soberano na divisão até 66 kg até dezembro de 2015, quando foi nocauteado por Conor McGregor. O lutador recuperou o título na sua próxima luta, contra Frankie Edgar, em 2016, mas acabou destronado na sequência, por Max Holloway.

Mais em Entrevistas