Siga-nos
Louis Grasse/PxImages

Entrevistas

Johnny Walker destaca busca por equilíbrio entre agressividade e cautela no UFC

O estilo agressivo e, por vezes, ‘selvagem’ com o qual Johnny Walker abordava suas lutas foi um dos principais responsáveis por alçá-lo ao status de grande promessa da divisão dos meio-pesados (93 kg) do Ultimate. Porém, ao mesmo tempo em que o auxiliava em sua meteórica ascensão na liga, o jogo impetuoso e arriscado adotado pelo brasileiro também expôs brechas que poderiam – e foram – utilizadas por seus adversários para derrotá-lo. Por isso, nos últimos tempos, o carioca tem buscado o equilíbrio entre a agressividade e a cautela, uma tarefa que o próprio admite não ser fácil de executar.

Em sua apresentação mais recente, por exemplo, o meio-pesado sofreu para encontrar este equilíbrio e acabou superado pelo compatriota Thiago ‘Marreta’, por pontos, após cinco rounds onde a agressividade característica de seus combates anteriores deu lugar a uma estratégia mais cautelosa. Por isso, em entrevista exclusiva à reportagem da Ag Fight, Johnny ressaltou a importância de chegar a esse meio-termo a fim de seguir o seu processo de evolução e se tornar um lutador melhor.

“Isso é a evolução do lutador. Eu estou achando o limite perfeito da duas equações, ser mais cauteloso e ser mais agressivo. Eu tenho que ficar no meio para ficar perfeito. Para não tomar porrada, bater só na hora certa, pegar o tempo certo e ser agressivo na hora certa. É nisso que eu venho trabalhando para ser um lutador cada vez melhor”, comentou Johnny, antes de admitir que alcançar este equilíbrio não é tão simples quanto parece.

“É complicado porque você tem que trabalhar com a sua cabeça. E se você pensar muito em um golpe, tipo: ‘Vou dar essa sequência nele’. Você não pode pensar na hora porque quando você pensa para fazer o golpe, já foi. Não é rápido suficiente para acertar o cara. Você tem que agir mais natural, tornar isso instintivo. Tem que achar o equilíbrio para você conseguir ser técnico e se mover com seu instinto. Você tem que combinar técnica com instinto. Aí você se torna o lutador perfeito”, explicou.

Revelado na versão brasileira do programa ‘Contender Series’, Johnny Walker estreou pelo UFC em 2018 e, com três vitórias por nocaute consecutivas e uma personalidade carismática fora do octógono, iniciou sua trajetória na organização com o pé direito, se consolidando como uma das maiores promessas da companhia. Desde então, no entanto, o brasileiro acumula resultados não tão favoráveis, com três derrotas – para Corey Anderson, Nikita Krylov e Thiago ‘Marreta’ – e apenas um triunfo, sobre Ryan Spann.

Mais em Entrevistas