Siga-nos
exclusivo!
Leandro Bernardes / PxImages

Entrevistas

Irredutível, ‘Do Bronx’ reforça campanha por título do UFC: “Não tem outro caminho”

Com oito vitórias consecutivas e atualmente ocupando a terceira posição no ranking peso-leve (70 kg) do UFC, Charles ‘Do Bronx’ parece irredutível quanto aos planos para o seu futuro imediato. Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag Fight, o faixa-preta fez questão de assegurar que não espera outra atitude por parte do Ultimate que não seja a confirmação de seu nome na próxima disputa de título da categoria.

Com a categoria em compasso de espera, no aguardo da reunião entre Dana White e Khabib Nurmagomedov, que pode sacramentar o retorno do atual campeão dos leves, aposentado desde outubro do ano passado, existe a possibilidade do título da divisão ficar vago, caso o presidente do UFC não tenha sucesso em sua tentativa de convencer o russo a desistir da aposentadoria. Por isso, especula-se que o combate entre Conor McGregor e Dustin Poirier, marcado para o dia 23 de janeiro, na edição 257, possa ser válido pelo cinturão, fato que não passa despercebido por ‘Do Bronx’, que já definiu o vencedor deste duelo como seu próximo alvo.

Independentemente da decisão final de Khabib, Charles mantém a confiança de que sua campanha pelo próximo ‘title shot’ permanece sendo a mais lógica comparada aos seus concorrentes, ao menos no quesito esportivo. Como justificativa para tal, o atleta da ‘Chute Boxe São Paulo’ aponta para o fato de ser o único atleta do top 3 da divisão que ainda não enfrentou o campeão, como nos casos de Justin Gaethje e Dustin Poirier – números 1 e 2 do ranking, respectivamente – que já foram superados por Nurmagomedov anteriormente.

“Não tem outro caminho a ser tomado. Eu acho que ninguém é bobo, ninguém é burro. Todo mundo que entende de luta sabe que o caminho da categoria a ser tomado é esse (uma disputa de título contra o vencedor de McGregor vs Poirier). Se o Khabib voltar – e eu acho que ele não volta, porque ele prometeu no túmulo do pai dele que não voltaria -, mas se ele voltasse a lutar, eu acho que não tem nem o que fazer. Os dois caras que estão na minha frente – Dustin Poirier e Justin Gaethje – já perderam para ele”, destacou Charles, antes de continuar.

“O único cara que vem de oito vitórias seguidas, tirando todo mundo para nada, se chama Charles Oliveira. Esse é o único cara que deveria lutar com o Khabib. Não tem outro caminho a ser tomado. Vai ter a luta entre o Dustin Poirier e Conor McGregor, e eu só tenho que ficar sentado na primeira fila, esperando qual dos dois vai vir para lutar comigo”, ressaltou.

Descrente quanto a uma possível mudança de ideia de Khabib, que, em função do falecimento de seu pai no ano passado, prometeu à sua mãe que o confronto diante de Gaethje seria o último de sua carreira, ‘Do Bronx’ tem suas atenções totalmente voltadas para o duelo entre McGregor e Poirier. Ciente da magnitude do evento, o paulista solicitou ao UFC que pudesse estar presente na ‘Ilha da Luta’, em Abu Dhabi (EAU), para acompanhar o show.

No entanto, a pandemia do novo coronavírus pode atrapalhar os planos do faixa-preta. Mesmo assim, Charles promete estar atento ao desenrolar do confronto. Questionado sobre um possível favoritismo ou preferência por um vencedor, no entanto, ‘Do Bronx’ optou por apenas elogiar ambos os atletas e reiterar seu desejo de enfrentá-los.

“Meu empresário está negociando isso (ida para Abu Dhabi). Mas eu também tenho o meu pé no chão, sei que a gente está em uma pandemia, que é difícil as coisas acontecerem. Então, eu entendo se não der para me levar. Eu queria muito estar ali na primeira fila, olhando essa luta, porque essa luta fala bastante (para o futuro)”, ponderou o peso-leve, antes de exaltar os rivais de divisão.

“Eu tenho que esperar qualquer um desses dois. São dois grandes nomes. O Dustin Poirier falou muito bem de mim nesses últimos dias. São caras que eu admiro demais. O Conor é um dos caras que mais ganhou dinheiro na história. Não é um cara bobo, é um cara que luta consciente, que luta malandro. Vende a luta do jeito dele. Para mim seria um prazer enorme fazer uma luta contra um desses caras. Então, com certeza, se eu puder, se eu tiver essa oportunidade, eu quero estar sentado na primeira fila”, finalizou.

Apesar do pleito do brasileiro ser bem fundamentado, principalmente levando-se em conta o mérito esportivo, vale salientar que, no aspecto promocional, uma possível revanche entre Conor McGregor e Khabib Nurmagomedov, duas das principais estrelas da companhia, faria muito mais sentido financeiro para o UFC e, muito provavelmente, seria a opção escolhida pela franquia. Restaria, então, ao paulista aguardar por sua oportunidade em um futuro um pouco mais distante ou aceitar outro confronto contra um dos atletas com melhor posição no ranking.

Esta opção, inclusive, parece fazer parte do planejamento inicial do Ultimate para o futuro próximo de Charles. Em recente declaração à ‘ESPN’ americana, Dana White revelou que tem interesse em colocar o brasileiro, em seu próximo compromisso, frente a frente com o americano Justin Gaethje, atual primeiro colocado no ranking dos pesos-leves e último desafiante ao cinturão da categoria, sendo derrotado por Khabib Nurmagomedov em outubro do ano passado, no UFC 254.

Mais em Entrevistas