Siga-nos

Entrevistas

Gregory Robocop minimiza troca de rivais às vésperas do UFC e prega respeito por Hulk

Em ascensão dentro dos pesos-médios (84 kg) do Ultimate, Gregory Rodrigues enfrentaria Brad Tavares no Rio de Janeiro, de olho em uma vaga no ranking da categoria. No entanto, às vésperas do evento de número 283 da companhia, o brasileiro viu o rival norte-americano deixar a luta por conta de uma lesão. Também de última hora, o UFC escalou Brunno Hulk para manter o duelo de pé. Apesar da movimentada dança das cadeiras, Robocop minimizou o imbróglio pelo qual passou nos últimos dias.

Em entrevista exclusiva à Ag Fight, o atleta de Rondônia destacou que seu objetivo final – o cinturão – independe do adversário com quem dividirá o octógono. Desta forma, Robocop se atém apenas em competir em alto nível para, passo a passo, galgar e conquistar seu espaço na divisão até 84 kg do Ultimate.

“Estou pronto para tudo. Sempre olho para cima e seria o Tavares, que poderia me colocar no ranking, mas nada mudou. Sou lutador e lutador luta. Nunca escolhi adversário e não vai ser agora. Infelizmente, o cara saiu, machucou, espero que esteja bem e agora tenho um novo desafio que é o Hulk, um cara que aceitou a luta em cima da hora, tem algo para mostrar. O UFC ofereceu para muita gente, ninguém quis aceitar, mas estou pronto para qualquer um. Vou passar por essa e sempre olhando para cima. Quero entrar no ranking. Meu foco é o cinturão. Então quem me colocar mais perto, é essa luta que quero. Estou disposto, com gás para dar. Estou com uma arma e as balas estão carregadas para atirar”, declarou o lutador.

Com a troca de rivais de última hora, Gregory contou com pouco menos de dez dias para tentar readaptar seu jogo e estratégia para medir forças com Hulk. Respeitador, Robocop elogiou a trajetória de seu compatriota e opinou que a principal diferença entre o novo adversário e Brad Tavares é a experiência dentro do maior evento de MMA do planeta.

“A maior diferença é a experiência. Tavares é um cara que está há muito tempo no UFC, fez luta principal com o Adesanya, já lutou com quase todos de cima da categoria, foi ranqueado, é duríssimo. É sempre ruim você pegar a luta em cima da hora, mas fiz um camp completo, treinando há bastante tempo. Para mim, não mudou muita coisa. O Hulk é duro, é um cara invicto na carreira, veio do Contender, teve uma grande vitória por nocaute. Respeito a história dele, mas sei quem sou e onde quero chegar. Quem estiver na minha frente tem que estar preparado, porque vou passar por cima. Sempre espero o melhor dos meus adversários e não será diferente contra o Hulk, mesmo com ele aceitando a luta em cima da hora. Quem aceita luta assim é porque tem algo na cartola, mas estou confiante e vou para cima”, concluiu.

Em sua trajetória como profissional, Robocop soma 13 vitórias e quatro derrotas. Seu rival no próximo sábado (21), Brunno Hulk ainda não sabe o que é perder no MMA, com um cartel de nove triunfos – todos por nocaute ou finalização.

Mais em Entrevistas