Siga-nos

Entrevistas

De volta ao UFC após susto, Rodolfo Vieira celebra duelo de estilos contra Chris Curtis

Depois de ver a continuidade de sua carreira ser colocada em xeque por conta de uma alteração detectada em seu cérebro durante um exame de rotina, realizado em janeiro deste ano, e posteriormente ter sido liberado para voltar a lutar pelos médicos após uma investigação profunda sobre sua condição de saúde, Rodolfo Vieira faz seu aguardado retorno ao octógono do UFC neste sábado (25), na edição ‘Vegas 57’. E logo de cara, o brasileiro terá um grande desafio pela frente: encarar o perigoso striker Chris Curtis. Nada que assuste o faixa-preta de jiu-jitsu, que celebrou o casamento do confronto.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag Fight (veja acima ou clique aqui), Rodolfo – especialista na luta agarrada – analisou o duelo de estilos que terá pela frente diante do americano e destacou o perigo que corre na trocação contra Curtis, um nocauteador nato. Apesar disso, o faixa-preta de jiu-jitsu se mostrou confiante na preparação feita ao lado do seu treinador Mano Santana para conseguir impor seu jogo sem que seja preciso se expor de forma imprudente, o que abriria brechas para o rival conectar seus potentes socos.

“Não tem como ser diferente. Ele é um cara muito perigoso, muito bom em pé, contragolpeador. E eu sou um cara bom de jiu-jitsu. Todo mundo sabe que vai ser um duelo de estilos, o meu jiu-jitsu contra o boxe dele. Eu vou botar ele para baixo, mas não vou naquele desespero, de qualquer jeito, afobado. Eu treinei bastante a parte em pé com o meu coach Mano (Santana) e estou bem confiante na parte em pé também. Vou botar ele para baixo no momento certo”, comentou Rodolfo.

Ciente do poder que seu adversário possui nos golpes, o que é corroborado pelos números, já que Curtis possui 16 de suas 28 vitórias conquistadas através do nocaute, Rodolfo prega respeito, mas admite que prefere enfrentar atletas com estilo de luta parecidos ao do americano, ou seja, perigosos na trocação, mas falhos no grappling, onde o brasileiro projeta definir o combate deste sábado.

“Na verdade, ele é o primeiro striker puro, que tem muitos nocautes e que também tem um chão falho. Os outros caras que eu lutei, no UFC e fora, eram caras bons na trocação, melhores que eu, só que eram bons grapplers também. Ele é o primeiro cara bem perigoso, muito bom em pé, que eu vou lutar. Eu prefiro lutar com um cara que é muito melhor em pé, mas que seja falho na parte de chão, do que com um cara que tenha a trocação mediana para boa e é duro de chão também. Eu prefiro lutar com um cara assim. Apesar de saber do risco, que é um cara com a mão duríssima, mas eu prefiro um cara igual a ele”, afirmou o faixa-preta.

Após construir uma premiada carreira no jiu-jitsu, com direito a incontáveis títulos nas modalidades de luta agarrada, Rodolfo Vieira iniciou oficialmente sua trajetória no MMA profissional em 2017. Em nove combates disputados até o momento, o faixa-preta soma oito vitórias, sendo sete por finalização, e uma derrota. A última apresentação do competidor aconteceu em julho de 2021, quando finalizou Dustin Stoltzfus.

Mais em Entrevistas