Siga-nos
Diego Ribas/PxImages

Entrevistas

De olho no título dos galos do UFC, Deiveson aposta que finaliza o campeão Sterling

Deiveson Figueiredo vai colocar o cinturão do peso-mosca (57 kg) em jogo pela terceira vez no UFC 263, mas já começa a traçar planos para seu futuro na maior organização de MMA do mundo. Neste sábado (12), o campeão vai realizar a revanche contra Brandon Moreno, no Arizona (EUA), e, caso confirme o favoritismo, já vislumbra uma aventura no peso-galo (61 kg).

Em conversa com os jornalistas na última terça-feira (8), Deiveson tratou de projetar uma hipotética luta entre ele e Aljamain Sterling, campeão do peso-galo. Vale destacar que, constantemente, o brasileiro expressa o interesse em subir de categoria e já dá como certa a sua presença nela no futuro.

Como não esconde que um dos seus objetivos no MMA é conquistar o título de duas divisões do UFC, Deiveson mostrou confiança e avisou que, caso lute pelo cinturão do peso-galo contra Sterling, vai finalizar o americano. A curiosidade é que o ponto forte do número um da categoria e possível adversário é justamente o jiu-jitsu.

“Meu foco é nocautear o Moreno. Certamente, o Sterling é um cara bem técnico, mas eu sou um cara bem agressivo e, com certeza, eu colocaria para baixo e finalizaria”, apostou o campeão do peso-mosca.

Em contrapartida, Deiveson, campeão do peso-mosca, também possui candidatos de valor na categoria. Um deles é Askar Askarov, número dois no ranking da divisão e invicto no MMA. Ao ser questionado sobre o atleta, ‘Deus da Guerra’ revelou que está de olho no possível oponente, mas indicou que tem as habilidades necessárias para impor a primeira derrota no cartel do rival.

“Já estudei e, certamente, ele vem me estudando. É um cara que me segue em rede social, vê tudo que eu posto. Ele é um cara que vem do wrestling, eu da luta marajoara, mas, quando a gente se encontrar, vou fazer prevalecer meu jogo. Sou faixa-preta de jiu-jitsu, mas também sou um striker brabo para ele”, concluiu.

Deiveson Figueiredo vive excelente fase no MMA. O brasileiro impressionou no UFC e, de certa forma, impediu a organização de excluir o peso-mosca. Em fevereiro de 2020, ‘Deus da Guerra’ nocauteou Joseph Benavidez no segundo round, mas, como apresentou problemas na balança, não conquistou o título da divisão.

Na revanche, realizada em julho, Deiveson finalizou o veterano no primeiro assalto e se tornou campeão da categoria. Em novembro, o brasileiro defendeu o cinturão ao finalizar Alex Perez, em menos de dois minutos. No mês seguinte, o paraense empatou com Brandon Moreno e faturou o bônus de ‘luta da noite’.

Mais em Entrevistas