Siga-nos
exclusivo!
Louis Grasse/PxImages

Entrevistas

‘Cabocão’ minimiza status de azarão no UFC: “É bom porque aposto e ganho dinheiro”

No UFC desde 2019, Felipe ‘Cabocão’ vai para sua quinta apresentação no octógono mais famoso do mundo. Neste sábado (9), o ex-campeão do ‘Jungle Fight’ encara o americano Chris Gutierrez, pelo card do UFC Vegas 39. E, como já ocorreu anteriormente em sua trajetória no Ultimate, o brasileiro, mais uma vez, chega para o combate sob desconfiança do mercado de apostas. Nada que o incomode.

Apontado como azarão pelas principais casas de apostas online, Felipe ‘Cabocão’ – em entrevista exclusiva à reportagem da Ag Fight – minimizou o impacto psicológico que a aparente descrença dos apostadores no seu potencial poderia causar. Bem-humorado, o peso-galo (61 kg) ainda revelou que se aproveita da situação para apostar em si próprio e garantir, em caso de vitória, uma renda extra, além da bolsa paga pelo UFC.

“Acho que desde que eu entrei no UFC, eu sou azarão. Então, eu já estou meio que acostumado a ser o azarão e quebrar as bolsas de apostas. E dessa vez não vai ser diferente. Eu tenho certeza que, a partir dessa luta, as pessoas não vão me ver mais como azarão, vão passar a me ver como favorito. Mas isso também não interfere muito no meu psicológico. Eu sempre me dei bem com isso, meu psicológico sempre foi muito bom nesse quesito. É até bom ser o azarão porque eu aposto em mim e consigo ganhar um bom dinheiro (risos)”, brincou ‘Cabocão’, que também revelou ter apostado um valor alto na sua vitória sobre Chris Gutierrez.

Ex-campeão peso-pena do Jungle Fight, Felipe ‘Cabocão’ estreou no UFC em fevereiro de 2019, com uma derrota para o compatriota Geraldo de Freitas, sua primeira na carreira. Desde então, o amapaense disputou mais três lutas, saindo vencedor em duas delas e sofrendo novo revés na outra. No total, o lutador de 27 anos soma dez triunfos e dois reveses em seu cartel.

Mais em Entrevistas