Siga-nos

Entrevistas

Borrachinha detalha briga com Chimaev e detona ‘Finfou’: “É um ninguém”

Um encontro nada amistoso entre Paulo ‘Borrachinha’ e Khamzat Chiamaev tem dado o que falar nos últimos dias. Após se encontrarem dentro das dependências do Instituto de Performance do UFC, em Las Vegas (EUA), os atletas passaram a se provocar e, caso não fossem contidos, poderiam ter chegado às vias de fato. Um dos protagonistas do imbróglio, o peso-médio (84 kg) brasileiro detalhou sua versão dos fatos em entrevista exclusiva à Ag Fight (veja abaixo ou clique aqui).

De acordo com Borrachinha, o atleta russo já havia encerrado seu treino e, posteriormente, se aproximou do tatame em que o brasileiro estava praticando posições de jiu-jitsu. Em determinado momento, Khamzat teria chamado Paulo pelo nome e cobrado uma recente declaração do lutador em suas redes sociais. Com os ânimos exaltados, a conversa subiu de tom e ambos quase protagonizaram um combate fora de época.

“Fui lá para o PI treinar jiu-jitsu e quando a gente chegou ele já estava lá treinando no octógono, estava fazendo uma ‘sombrinha’ e olhou a gente, virou (de costas) e fingiu que não viu. Aí acabou o treino dele, ele ficou perto da porta encostado por uns dez minutos assistindo nosso treino. Não sei se ele queria entender alguma coisa… Depois de uns dez minutos, com a porta do cage aberta, só estava eu, o Jake Shields e a Tamara (noiva). O Nicolas também estava. Aí ele chamou meu nome: ‘Borrachinha’. Vi que era ele me chamando e fui lá. Aí ele disse: ‘o que você falou de mim?’. Rebati: ‘você quer lutar comigo?’. Aí ele respondeu: ‘não, só quero saber o que você falou de mim’. Retruquei: ‘não interessa o que eu falei, quero lutar com você’. Aí ele: ‘então vamos lutar agora’. Pensei: ‘a porta está aberta, já estou no tatame, então vamos lutar’. Aí ele disse: ‘não, vem você aqui’. Aí eu fui em direção à porta e veio uns três ou quatro caras do time dele, ficaram no meio da porta, não deixando ele passar. O bicho tá ali com uns dez amigos, não quis entrar no tatame, me chamou para ir para fora e com os amigos ainda impedindo e segurando ele. Então ele não quer, né? (luta de verdade). Não quer nada”, detalhou o brasileiro.

Após intensa troca de farpas entre os atletas do Ultimate, Alan ‘Finfou’, treinador brasileiro de Chimaev, também subiu o tom e passou a provocar Borrachinha em português. Ao ser questionado sobre o ocorrido, o peso-médio ironizou o especialista de jiu-jitsu.

“Eu nem sei quem é. Como é mesmo? Fiofó? Finfou. Alan Fiofó? Esse cara eu não sei quem é, não conheço e nem me interessa. Estava falando com o Chimaev e ele começou a entrar no meio da conversa, fez um escândalo, até mais que o Chimaev. Não me interessa quem é, é um ninguém. Meu negócio é com o Chimaev”, alfinetou Paulo.

Chimaev entra em ação neste sábado (10), contra Nate Diaz na luta principal do UFC 279. A poucos dias do duelo, Borrachinha aproveitou para comparar o estilo dos dois fora do octógono e afirmar que o russo tenta passar uma imagem de ‘bad boy’ que, de acordo com o brasileiro, só se encaixa com a personalidade de Diaz. 

“Vou explicar. O Chimaev diz que é gangster, que é da pesada, valentão, um bully, mas não é nada disso. Quem é mais maloqueiro que o Chimaev é o Nate Diaz, muito mais, nem se compara. Chimaev é checheno só, mas isso não quer dizer nada. Mora na Suécia, fica comendo cupcake com um casal de nerds. Ele não é nada disso, foi apenas isso que falei. Acho que ele não gostou”, comparou, antes de falar sobre um eventual duelo entre os dois no futuro.

“Muita gente se ilude com o Chimaev, porque ele se diz esse bicho papão, não é nada. Só bate em cara pequeno. Estava de frente para ele, ele ficou assustado, não esperava que eu fosse reagir daquela forma. Acho que eu ia ficar com medo, como normalmente as pessoas do tamanho dele ou menores costumam ficar. Gostaria que essa luta acontecesse, mas acho que ele vai evitar ao máximo. Ele se assustou, ficou sem reação”, concluiu Borrachinha.

Paulo Borrachinha vem de vitória sobre Luke Rockhold no UFC 278. Atual número 6 do ranking dos pesos-médios e com apenas mais uma luta prevista em seu atual contrato com o Ultimate, o brasileiro busca o oponente ideal e pretende retornar aos octógonos ao fim da temporada ou no início de 2023.

Mais em Entrevistas