Siga-nos
exclusivo!
Louis Grasse/PxImages

Entrevistas

Ariane ‘Sorriso’ questiona UFC por ‘premiar’ atletas que não lutam e lança desafio

Embalada pela boa vitória em sua última aparição pelo Ultimate, realizada em abril, Ariane Carnelossi já cogita a possibilidade de enfrentar as melhores lutadoras do MMA. Para isso acontecer, a brasileira terá que passar pela compatriota Istela Nunes, estreante na companhia, no UFC Vegas 40, evento que acontece neste sábado (16), em Las Vegas (EUA). Caso conquiste o segundo triunfo na empresa, a paulista possui um alvo claro.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight, Ariane, de 28 anos, aproveitou para desafiar Felice Herrig, que se encontra na 15ª posição no ranking do peso-palha (52 kg) do UFC. Mas, de acordo com a brasileira, a classificação da americana na tabela é um tanto quanto enganosa, já que a mesma não atua desde outubro de 2020. Como a veterana segue na elite da categoria, ‘Sorriso’ criticou a companhia por ser conivente com profissionais que não lutam com a devida regularidade no octógono.

Segundo Ariane, o Ultimate deveria excluir do ranking atletas que ficam tanto tempo sem atuar. Vale destacar que, após vencer Mackenzie Dern no UFC Vegas 39, evento que aconteceu no último sábado (9), Marina Rodriguez também pediu para a organização tomar uma providência contra Joanna Jedrzejczyk, que lutou pela última vez em março de 2020 e permaneceu na segunda posição no peso-palha. É bem verdade que, ‘Sorriso’ possui apenas dois combates pela companhia, mas, como é uma veterana do esporte, ressaltou que se considera apta para encarar a elite da categoria de igual para igual.

“Tenho cartel para pegar qualquer uma das top-15, top-10 e só quero crescer. Quem o UFC colocar, estarei pronta para encarar. Primeiro, quero vencer essa luta, mas me sinto preparada, porque tenho experiência. O público gosta desse meu estilo de luta. Sou bem agressiva e espero enfrentar alguma top-15 em breve, para entrar no ranking”, analisou ‘Sorriso’, antes de completar.

“A Felice Herrig vem de derrota e não luta há muito tempo. Não sei o motivo dela estar no ranking ate agora. Se puder, quero essa luta em janeiro. Já quero pedir para entrar no top-15. Elas estão muito tempo paradas, não lutam nunca e têm outras atletas que estão lutando para chegar ao topo. Isso deveria ser melhor analisado. O UFC deveria obrigar essas atletas a lutarem logo para movimentar a categoria, Out tira do ranking e pronto, porque tem muita gente querendo entrar. É injusto isso”, reclamou a lutadora.

Apesar do desafio nada amigável feito para Herrig, Ariane está ciente de que precisa passar por Istela para, quem sabe, seu desejo se tornar realidade. Tanto que a brasileira pregou respeito ao comentar o estilo de luta da compatriota.

Como é mais experiente no UFC e no esporte, ‘Sorriso’ destacou que possui maior nível na trocação, no grappling e sinalizou que vai buscar a vitória pela via rápida, pois esta é a melhor forma de impressionar os fãs e a alta cúpula da organização para crescer nela. Em sua recente aparição no octógono, ‘Sorriso’ encarou Na Liang e venceu a primeira luta pela companhia por nocaute no segundo round, em duelo movimentado e com reviravoltas. Para o atual embate, a atleta indicou que o objetivo é ser superior com menos drama.

“Na minha ultima luta, consegui nocautear do jeito que deu. Foi uma luta movimentada, todos gostaram muito e fui bem elogiada. Fiz um estrago e agora vou buscar outra vitória. Não vejo a hora de lutar. Estou bem preparada. Treinei bastante e foi um camp completo. Me preparei para todas as áreas, mas gosto da trocação. Ela também é da trocação e acredito que terei trabalho, ainda mais por ser brasileira também, mas ela não tem um jogo de chão tão bom e posso explorar isso para acabar com a luta”, concluiu.

Mais em Entrevistas