Siga-nos
exclusivo!
Leandro Bernardes/PXImages

Entrevistas

Após ter desafio negado, ‘Cowboy’ revela torcida para que Chimaev “tome um pau”

Antes de agendar seu próximo compromisso, Alex ‘Cowboy’ foi um dos poucos atletas do plantel do Ultimate que se colocaram à disposição para enfrentar a nova sensação da companhia, Khamzat Chimaev. Sem ter o pedido para enfrentar o russo naturalizado sueco atendido, o meio-médio (77 kg) optou por aceitar o chamado de última hora para substituir o lesionado Elizeu ‘Capoeira’ e encarar Shavkat Rakhmonov no card do UFC 254, neste sábado (24), na ‘Ilha da Luta’, em Abu Dhabi (EAU).

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight, ‘Cowboy’ explicou o motivo que o fez desafiar Chimaev e ironizou a autopromoção feita pelo lutador de origem chechena, que ganhou as manchetes após vencer de forma impactante os três combates disputados por ele no octógono do UFC, todos em um período de dois meses. Além do aspecto esportivo, a jovem promessa chamou a atenção dos fãs e da mídia pela postura extremamente confiante, já se colocando na discussão de disputas de título nas duas categorias em que compete: meio-médio e peso-médio (84 kg).

Apesar de reconhecer as habilidades do sueco, Alex ‘Cowboy’ prevê que Khamzat enfrentará dificuldades em breve, à medida que tenha pela frente adversários mais qualificados e que estudem mais detalhadamente seu estilo de jogo e suas características, positivas e negativas, dentro do octógono. Deixando clara a sua desaprovação quanto à postura do rival de divisão, o brasileiro também não escondeu a torcida para que o invicto lutador seja logo derrotado no Ultimate e receba uma ‘lição de humildade’.

“O cara (Chimaev) fala muito. Pede luta, os caras não aceitam lutar com ele. Eu pedi essa luta com ele e ele não quis aceitar. Eu não sei aonde ele quer chegar. Muitos lutadores veem isso como: ‘O cara chegou agora…’. Eu estou torcendo para ele pegar um cara lá de baixo e tomar um pau. A verdade é essa. Para ele ter um pouco mais de humildade, abaixar um pouco a bola dele. Nem todo mundo tem medo dele não”, declarou ‘Cowboy’, antes de completar.

“É um pouco de mídia e ele é bom. Mas ele está enchendo muito a bola dele. Na hora que ele pegar um cara que dê trabalho para ele, ele vai sofrer. Todo lutador é diferente do outro. E a cada luta que ele faz, todo mundo vai estudando o jeito dele. Então, na hora que ele pegar um ‘mão quadrada’ aí, um cara que vai dar trabalho e vai fazer força junto com ele, ele vai ver que o buraco é mais embaixo”, finalizou.

Nova sensação do UFC, Khamzat Chimaev estreou na organização em julho deste ano, na primeira passagem da liga pela ‘Ilha da Luta’. Em um intervalo de dez dias, novo recorde da organização, o sueco atropelou John Phillips e Rhys McKee, respectivamente. Em sua última apresentação, o lutador – ainda invicto em sua carreira após nove confrontos disputados – precisou de apenas 17 segundos e um golpe para nocautear Gerald Meerschaert, em edição realizada em setembro, na cidade de Las Vegas (EUA).

Com a promessa do UFC de que ele lideraria o card de um evento próximo a ser realizado em Las Vegas, Khamzat tem focado suas atenções em tentar conseguir um adversário com uma posição alta no ranking de uma das divisões nas quais compete, ainda sem sucesso. O brasileiro Alex ‘Cowboy’ foi um dos poucos que se dispuseram a enfrentá-lo, mas, ao que parece, seu nome foi descartado por Chimaev.

Com isso, o atleta fluminense encara neste sábado o estreante Shavkat Rakhmonov, em disputa válida pelo card preliminar do UFC 254, na ‘Ilha da Luta’, em Abu Dhabi. Em boa fase, ‘Cowboy’ busca ampliar sua sequência de vitórias na organização, após derrotar Max Griffin e Peter Sobotta, ambos em combates realizados neste ano.

Mais em Entrevistas