Siga-nos
exclusivo!
Diego Ribas/PxImages

Entrevistas

Amanda Lemos promete nocaute no UFC 259 e mira ‘roubar’ vaga de rival no ranking

O UFC 259 não se destaca apenas pelas três disputas de cinturão. Uma das lutas que chama atenção dos fãs brasileiros é entre Amanda Lemos e Lívia Souza, que integra o card preliminar da atração que acontece neste sábado (6), em Las Vegas (EUA). Apesar de se encontrar na porção inicial do show, Amanda comemorou o fato de participar de um evento grandioso e não escondeu a empolgação para o duelo contra a compatriota.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight, Amanda informou que planeja aproveitar os holofotes do UFC 259 para se tornar conhecida. Animada, a atleta analisou o confronto com ‘Livinha’ e não só adiantou que sua estratégia é manter a luta em pé, como prometeu nocautear a adversária. O encontro entre as brasileiras é o clássico duelo de estilos entre striker e grappler.

Atualmente, a paraense está embalada por vencer duas lutas seguidas, porém ainda não se encontra no ranking do peso-palha (52 kg) da organização. Contudo, como Amanda vai enfrentar a atual 15ª colocada na tabela de classificação, um novo triunfo pode consolidar a lutadora entre as melhores da divisão e, consequentemente, oferecer oponentes bem posicionadas no futuro.

“Enxergo essa luta como uma oportunidade. A Lívia é uma top-15 e, se eu vencer, posso entrar no ranking. Eu gosto da luta em pé e vou esperar o momento certo para definir a luta logo. Essa é a minha área. Ela é do jiu-jitsu, então treinei essa área, mas nunca deixei o striking de lado. Ela vai tentar me botar para baixo, mas estou preparada para frustrar esse jogo. Quero enfrentar as tops e, uma hora, a gente vai se encontrar. Me sinto muito bem nessa categoria e podem esperar muitas lutas boas. Esse evento é muito bom e nossa luta vai se destacar. Podem assistir, que vai ser um lutão e vencerei por nocaute”, declarou Amanda.

Amanda Lemos, de 33 anos, se encontra em boa fase no UFC. A brasileira iniciou sua trajetória no esporte em 2014, se destacou no Jungle Fight e foi contratada pelo Ultimate em 2017. Inclusive, a paraense perdeu sua invencibilidade, justamente, em sua estreia na maior organização de MMA do mundo. Após o primeiro e único revés sofrido na carreira, Amanda trocou o peso-galo (61 kg) pelo peso-palha e venceu os dois combates que realizou na nova categoria. Na modalidade, a atleta disputou 10 lutas, venceu oito, sendo cinco por nocaute, foi derrotada em uma e empatou outra.

Mais em Entrevistas