Siga-nos
Divulgação/UFC

UFC

Treinador sugere Ngannou vs Jones como desfecho após criação de título interino

Na última segunda-feira (28), o UFC surpreendeu a comunidade do MMA ao anunciar a criação do cinturão interino do peso-pesado, que será disputado por Ciryl Gane e Derrick Lewis no dia 7 de agosto, pelo main event da edição número 265 da liga, em Houston (EUA). A decisão tomada pela entidade, como era de se esperar, não foi bem recebida por Francis Ngannou, atual campeão da categoria, mas seu treinador principal tratou de minimizar a frustração que tomou conta da equipe do camaronês.

Em entrevista ao site ‘MMA Fighting’, Eric Nicksick admitiu que, assim como grande parte dos membros da comunidade das lutas, ficou chocado com o caminho seguido pelo UFC em relação ao topo da divisão dos pesados. Porém, o treinador da academia ‘Xtreme Couture’ – apesar de ponderar que seu pupilo estaria pronto para defender seu cinturão pela primeira vez em setembro – preferiu colocar panos quentes na discussão e enxergar o lado positivo da situação.

Na visão de Nicksick, a controversa decisão do UFC pode acabar sendo favorável ao camaronês. O treinador citou, inclusive, a possibilidade das negociações pela disputa entre Ngannou e Jon Jones voltarem a ganhar força, tendo em vista que o ex-campeão dos meio-pesados (93 kg) seria a escolha mais coerente para que o título linear da divisão dos pesados não fique tanto tempo inativo.

“Eu acho que todos sabemos, e os fãs sabem por onde esse título passa e ele passa pelo meu amigo do Camarões. Na minha mente, é tipo, nós não lutaríamos em agosto de qualquer forma, (então) essa é só uma luta que vai acontecer em agosto. Tudo que nós sabemos agora é que provavelmente não lutaremos em setembro, então para onde isso nos empurra, quão distante, e quem, quando e para que precisamos nos preparar?”, ponderou o treinador, antes de completar.

“Eu preciso olhar para isso das duas perspectivas e tenho que sair disso com um aspecto positivo porque, para mim sendo o treinador principal, se eu estiver chateado, se eu jogar gasolina no fogo, não vai ajudar a situação de forma alguma. (…) Então, no final, se isso significar que vamos lutar com Jon Jones em novembro ou dezembro, eu acho que existe um lado positivo por trás disso. (…) Se isso significar que nós vamos lutar com Jon Jones, e talvez em um card de novembro no Madison Square Garden (em Nova York) ou algo do tipo, ou até maior que isso, então tudo vai dar certo no final”, concluiu.

Francis Ngannou conquistou o cinturão peso-pesado do UFC em março deste ano, ao nocautear o então campeão Stipe Miocic, na luta principal da edição 260 do Ultimate. Inicialmente, todos os sinais apontavam para que sua primeira defesa de título fosse diante do ex-soberano dos meio-pesados Jon Jones, que se prepara para migrar para a divisão mais pesada da liga.

Porém, um impasse financeiro emperrou as negociações entre a organização e o americano, impedindo um acerto e colocando Derrick Lewis, número dois do ranking, como primeira opção do UFC. Sem o aval de Ngannou para marcar o confronto para agosto, a entidade tomou a discutível decisão de criar um cinturão interino e escalar Lewis e Gane para disputá-lo.

Mais em UFC