Siga-nos
Leandro Bernardes/PxImages

UFC

Treinador aposta em retorno triunfal de Conor McGregor e cita adversário ideal

Em termos profissionais, a atual temporada foi a pior para a carreira de Conor McGregor. O astro irlandês atuou duas vezes pelo UFC, em janeiro e julho, foi nocauteado por Dustin Poirier e ainda sofreu uma grave lesão na perna, que o tirou de cena. No entanto, o treinador John Kavanagh confia na volta por cima do seu atleta em 2022 e, inclusive, já tem em mente o adversário ideal para recepcionar ‘Notorious’ no octógono.

Em entrevista ao canal do ‘YouTube’ ‘Submission Radio’, o renomado treinador revelou que McGregor está motivado e disposto a calar os críticos, que constantemente questionam se o mesmo ainda possui o que é necessário para competir em alto nível no UFC. Kavanagh garante que o ex-campeão do peso-pena (66 kg) e do peso-leve (70 kg) da companhia está focado em sua carreira como lutador e cita Max Holloway como um dos principais candidatos para encarar seu atleta. Vale lembrar que a história entre os profissionais é antiga.

Em 2013, a dupla se enfrentou no peso-pena do UFC e o astro irlandês venceu por decisão unânime, em luta que foi obrigado a mostrar sua faceta grappler para conter os avanços de ‘Blessed’. Com isso, os ícones do MMA passaram a se provocar e discutiram sobre quem é o melhor boxeador da organização. O atrito mais recente aconteceu em novembro, quando o havaiano lutou contra Yair Rodríguez. Ao assistir o duelo, ‘Notorious’ aproveitou o anúncio de Bruce Buffer para encarar Holloway pela televisão. Como a rivalidade envolvendo os ex-campeões está mais viva do que nunca, Kavanagh deu sinal positivo para a realização da revanche.

“McGregor estará de volta ao ginásio e aos tatames nas próximas semanas comigo. Ele está fazendo muito treino de força no momento. O cara está sarado. Acho que ele está voltando como médio. Ele está muito entusiasmado, otimista e animado para atacar em 2022. Não tenho certeza de quando ele estará de volta, mas ele estará de volta. Não sei direito o motivo para caras do nível de McGregor e Holloway se incomodarem em cortar peso. Apenas deixem eles lutarem. Imagino que Holloway seja mais pesado do que McGregor fora da luta. Ouvi histórias sobre ele ficar muito pesado. Então, por que eles concordariam em lutar e passariam oito semanas tentando se esgotar e perder peso para lutar por algum cinturão?”, declarou o treinador, antes de completar.

“Holloway tem alguns cinturões, McGregor tem alguns cinturões. Não sei se isso é mais importante. Faça com que lutem com seu peso, seja qual for o peso. Deixe que eles façam isso, vamos lá. McGregor não se preocupa tanto com lutas de aquecimento. Ele parece muito aquecido para mim do jeito que é. O que virá, virá. Ele tem muitos oponentes alinhados, mas vamos voltar a treinar, testar a perna e testar tudo. Quando chegar a hora, tenho certeza que ele terá opções. Seja quem for que ele enfrente, estará altamente motivado. Está claro que, neste estágio, McGregor tem algumas libras, alguns dólares na conta bancária. Esse não é o fator motivador nesta fase. Seu fator motivador é a competição, se aprimorar e se testar contra quem quer que seja”, concluiu.

Mesmo em má fase na carreira, Conor McGregor, de 33 anos, é o principal nome do UFC. Dois anos após sua estreia na organização, o irlandês se transformou em um fenômeno do MMA e conquistou o cinturão do peso-pena, em 2015, e do peso-leve, em 2016. Seus triunfos mais marcantes foram contra Chad Mendes, Donald Cerrone, Dustin Poirier, Eddie Alvarez, José Aldo, Max Holloway e Nate Diaz. Atualmente, o atleta ocupa a nona posição no ranking dos leves e possui um cartel composto por 22 vitórias, sendo 20 pela via rápida e 19 delas por nocaute, e seis derrotas.

Mais em UFC