Siga-nos
Louis Grasse/PxImages

UFC

Poirier sinaliza que derrota de Charles abre portas para disputar cinturão do UFC novamente

Se Dustin Poirier não escondeu seu desânimo e até cogitou se aposentar do MMA após ser derrotado por Charles Oliveira, em dezembro, na disputa pelo cinturão do peso-leve (70 kg) do UFC, criou alma nova com a mudança de rumo da categoria, ocorrida em outubro. ‘The Diamond’ sinalizou que o resultado da luta entre ‘Do Bronx’ e Islam Makhachev lhe favoreceu e deu mais motivação para encarar Michael Chandler, em aguardado e importante duelo pela divisão, neste sábado (12), em Las Vegas (EUA).

Na ocasião, Makhachev enfrentou Charles, em Abu Dhabi (EAU), na disputa pelo cinturão vago do peso-leve, finalizou com facilidade no segundo round e se tornou campeão. Com o russo no topo da categoria, Poirier indica que são boas as suas chances de lutar pelo título dela novamente. É bem verdade que, para se tornar um potencial adversário do amigo de Khabib Nurmagomedov, ‘The Diamond’ precisa passar por Chandler. Com os pés no chão, o americano, mesmo em caso de vitória, não crava um possível duelo com o atleta do Daguestão na sequência, mas, apesar de não ter nada contra ‘Do Bronx’, ‘comemora’ sua derrota, pois ela o recoloca em evidência na divisão.

“Nada é claro no MMA, especialmente, nos leves, mas definitivamente abre as portas, há novas oportunidades, lutas diferentes fazem sentido agora, novos oponentes. Veremos, mas nada disso importa até sábado. Imediatamente após a luta, fiquei com o coração partido, mas lutar é o que eu faço. Estou sempre motivado. Este eu de agora está muito focado”, declarou o ex-campeão interino do UFC no ‘media day’ do evento, realizado na última quarta-feira (9).

Dustin Poirier, de 33 anos, é ex-campeão interino do peso-leve do UFC e um dos atletas mais condecorados na história da categoria. No MMA desde 2009 e no Ultimate dois anos depois, ‘The Diamond’ venceu nomes importantes como Anthony Pettis, Bobby Green, Carlos Diego Ferreira, Conor McGregor (duas vezes), Dan Hooker, Eddie Alvarez, Jim Miller, Justin Gaethje e Max Holloway (duas vezes). Atualmente, o americano é o segundo colocado no ranking da divisão e possui um cartel composto por 28 vitórias, sendo 21 pela via rápida, sete derrotas e um ‘no contest’ (luta sem resultado).

Mais em UFC