Siga-nos
exclusivo!
Montagem/PxImages

UFC

‘Pedrita’ abre processo por calúnia e rebate acusações; ex-namorada cita medo de morrer

Nesta semana, Priscila ‘Pedrita’ ganhou as manchetes no mundo das lutas. Mas ao contrário do que se poderia esperar, a atleta do UFC não chamou a atenção por suas atuações dentro do octógono mais famoso do mundo. A peso-mosca (57 kg) foi denunciada por agressão física e abuso por sua ex-namorada, Marcelle Nunes. Esta, inclusive, conseguiu na Justiça uma medida protetiva contra a competidora, já que alegou sentir sua segurança ameaçada. Por outro lado, a lutadora negou as acusações e foi a uma delegacia no Rio de Janeiro (RJ), na última quinta-feira (15), para entrar com um processo contra a ex-companheira.

De acordo com Pedrita, uma outra ex-namorada sua – citada pela suposta vítima em entrevistas como sendo garota de programa – também abriu um processo por calúnia e difamação contra Marcelle, mesma ação tomada por Priscila na 34ª DP de Bangu, no Rio de Janeiro. Por isso, reportagem da Ag Fight conversou tanto com com a lutadora como com Marcelle para ouvir as alegações e versões de cada uma sobre o caso.

No entanto, é preciso entender como a relação delas começou. A gaúcha de Bagé (RS), que conheceu a lutadora durante uma passagem da mesma pela região, confirmou, veementemente, as acusações feitas anteriormente contra a ex-companheira, incluindo as agressões – que segundo ela eram constantes, mas tiveram maiores consequências em três ocasiões – e o abuso de drogas por parte da atleta, entre elas a maconha e a cocaína. De acordo com Marcelle, após se mudar para Niterói – onde Priscila morava e treinava na equipe ‘PRVT’ -, os problemas financeiros, aliados à relação conturbada com a família da carioca e o passado amoroso da atleta contribuíram para o início das brigas do casal.

Até então, de acordo com a suposta vítima, apenas o excesso no consumo de álcool por parte da lutadora chamava sua atenção. Porém, Marcelle conta que, um dia, viu a ex-namorada fumando maconha no muro da casa onde moravam, após uma noite regada a álcool com os amigos, e foi embora de volta para Bagé. Depois de muitas ligações, ela voltou para Niterói com a promessa que ‘Pedrita’ passaria a frequentar a igreja ao seu lado. Mas a rotina de treinos da atleta e de estudo da gaúcha, que fazia faculdade, não a deixavam controlar todas as ações da lutadora no dia-a-dia. A partir daí, ela teria perdido o controle da situação.

Acervo pessoal

Acusação

A primeira agressão denunciada por Marcelle teria acontecido em 2019, após as duas discutirem justamente em torno do excesso de bebida alcoólica ingerida pela lutadora. A gaúcha conta que tentou tirar uma garrafa de cerveja das mãos da então namorada, mas foi lançada ao solo por ‘Pedrita’, que teria passado a desferir chutes até sua cabeça começar a sangrar. Já em um segundo caso, após uma discussão, a carioca teria acertado um soco na boca de Marcelle, causando uma lesão que levou a gaúcha a passar por um tratamento dentário, bancado através do patrocínio da atleta.

“Foi um final de semana que ela estava bebendo, e a gente tinha combinado dela parar de beber. Ela tinha me pedido pra tomar duas cervejas, dois ‘litrão’. Vi que ela pegou mais bebida no bar da frente de casa. A gente começou a brigar e eu fui tentar tirar a garrafa da mão dela. Ela me pegou pelos cabelos, me jogou no chão e eu caí. Ela achou que eu estava encenando, e seguiu me chutando. Ela só parou quando viu que, de fato, a minha cabeça estava sangrando”, contou Marcelle, que também deu detalhes sobre os outros casos denunciados por ela.

“Em setembro (2019), teve um fato que eu fui pra faculdade e ela em vez de ir pro treino, foi tomar um café numa prima da ex dela que era prostituta, e aí a guria mandou uma mensagem para ela: ‘Ah, nem tiramos foto do nosso café’. Perguntei que café foi esse e a Priscila conta dez versões até ela falar a verdade. (…) Nisso eu fui pegar o meu celular e ela já tomou o celular de mim e me jogou na cama. Nunca fiquei quieta. A gente começou a se agredir e ela também me deu um soco na boca que eu caí desmaiada perto da geladeira e quando eu acordei o meu dente não tinha caído da boca, mas ele estava frouxo pra trás. Eu saí pra rua desnorteada, não sabia o que eu fazia, até tirei foto. Nisso ela foi de carro atrás de mim, com medo que eu fosse em delegacia, que eu fosse no hospital e perguntassem o que tinha acontecido. Aí ela me prometeu que ia arrumar o meu dente. Ela conseguiu com o patrocínio dela que tinha convênio com o dentista e eu fiz o tratamento de canal, clareamento interno e até hoje eu uso a contenção pra segurar o meu dente, porque uma vez a gente tentou tirar e ele ainda estava frouxo”, relatou.

No mais recente caso de agressão grave relatado pela suposta vítima, uma nova discussão, aparentemente motivada por ciúmes, teria inflamado ‘Pedrita’ a ponto da lutadora desferir um chute frontal que lançou Marcelle contra um móvel. Neste evento, ela sofreu um profundo corte em uma das mãos, o que a levou a passar por duas cirurgias e carregar sequelas até hoje.

“Ela sempre fez coisas para mim, e ela tentava achar alguma coisa que eu fizesse pra me acusar para sair menos pior das coisas que ela fazia. Ela começou a ‘jogar verde’ e catar pessoas que tinham nas minhas redes sociais, começou: ‘Porque tu ficou com tal fulano’. E eu comecei: ‘Tá Priscila, eu fiquei com ele, tinha 18 anos, no carnaval, ninguém deu importância, a gente é amigo, o cara namora, conheço a namorada’. (…) Nisso ela começou a me chamar de vagabunda, que eu era isso, que eu era aquilo. E eu me levantei, a gente começou a discutir, começou a se agredir e nisso ela pegou e me deu um chute no estômago, um frontal, que eu voei e bati com as duas mãos num vidro na estante. A mão direita eu só fiquei com umas queloides nos dedos e a outra mão na mesma hora foi uma ‘sanguera’ e ela esticada. Lembro que eu gritava e ela tapava minha boca para os vizinhos não chamarem ninguém. E eu desmaiava e voltava, desmaiava e voltava. Lembro de estar no hospital e só ouvia falarem que eu ia ficar aleijada, que eu ia perder minha mão. Fui pra casa, aí ela conseguiu o contato do médico com o fisioterapeuta. Aí pediu esse dinheiro para o Wallid (Ismail, empresário), fiz a cirurgia às pressas porque tinha rompido o ligamento, o nervo e o tendão”, detalhou.

Louis Grasse

Defesa

Por sua vez, ‘Pedrita’ negou, também de forma enfática, todas as alegações da antiga namorada, afirmando sua inocência e indicando um suposto desequilíbrio psicológico da acusadora, que seria, de acordo com a lutadora do UFC, a verdadeira agressora, e estaria tentando denegrir sua imagem e prejudicar sua carreira. Ainda de acordo com Priscila, ela possui provas de que Marcelle passou por tratamento psiquiátrico, tomava remédios controlados e já havia tentado o suicídio. A carioca também alegou que a ex-companheira tem casos de agressão contra o próprio pai.

“Está tudo na mão da Justiça. As provas de que ela que me agredia, a prova de que quando ela diz que eu agredi, desferi o dente dela, na verdade ela estava ingerindo muitos remédios, tem a foto dos remédios, dela ingerindo os remédios. Quando ela me agride lá em Belém… Tem testemunhas que viram ela me agredindo. Enfim, está tudo nas mãos da polícia, diversas provas. E ainda tem muito mais. Tenho provas dela tentando comprar as minhas ex (namoradas) para falarem mal de mim”, revelou Priscila, antes de completar.

“Tem diversas provas que ela faz tratamento psiquiátrico, onde ela toma remédios controlados, que ela já agrediu o pai dela… Ela tem caso dentro da delegacia de agressões contra os pais. Ela já agrediu o pai dela na minha frente. (…) Ela é uma pessoa completamente descontrolada, mentalmente dizendo. Ela já tentou o suicídio mais de cinco vezes. O pai dela chegou a levá-la para o hospital para fazer lavagem estomacal. Ela tem depressão e sofre de transtorno de bipolaridade”.

Ao ser questionada sobre como Marcelle teria se lesionado nas supostas agressões, negadas por ela, ‘Pedrita’ disse não saber o que causou o problema no dente da gaúcha, já que a teria encontrado nesse estado, sob efeito de remédios. Já sobre a séria lesão na mão da ex-namorada, a lutadora afirma que foi a própria Marcelle quem socou o vidro, causando o corte.

“Quando cheguei em casa depois do treino de jiu-jitsu, ela estava com a caixinha de remédio ingerindo muitos remédios, completamente dopada e com o dente para dentro. Eu nem vi, só socorri. Só socorri ela completamente dopada. Foi apenas isso que aconteceu. No dia seguinte, ainda com o meu patrocínio, levei ela no dentista, tratei o dente dela. Tenho provas disso. Não sei o que aconteceu, quando cheguei ela já estava com o dente daquele jeito. Ela nunca me falou, de fato, o que aconteceu, porque estava completamente dopada”, respondeu Pedrita, antes de contar sua versão sobre a acusação de agressão mais recente, quando ambas já viviam em Belém (PA).

“Descobri traição dela, tenho provas. A gente sempre combinou de quando a gente estiver em um ciclo de festas, discoteca, em balada, se tiver ficado com alguém, avisar: ‘Olha, aquele ali eu já fiquei’. Ela sempre disse que nunca tinha ficado com esse. Porque a fama da Marcelle em Bagé é de … Entendeu? De sair com vários homens. O dia do fato da mão… Descobri uma traição de quando ela já estava comigo há quatro meses. (…) Fui argumentar com ela e aí ela falou a verdade. Aí eu falei: ‘Tá vendo? A verdade é que você realmente é uma … (…) Então, fui argumentar isso. Ela entrou em desequilíbrio e desvairou a mão no vidro do rack da sala. Ela mesma que tacou a mão. Como ela entrou em desequilíbrio quando me agrediu, que eu tenho provas que ela me agrediu. Ela quebrou o portão do vidro do prédio, que ela sempre me batia. Ela que me batia, na verdade, ela era a agressora. No dia que ela machucou a mão, ainda socorri, enrolei uma toalha na mão dela, levei para o hospital, deram os pontos na hora, que foi emergência, de madrugada”, contou ‘Pedrita’, que teria arcado com as cirurgias feitas pela ex-namorada.

Acervo pessoal

Uso de drogas

Outra grave acusação feita por Marcelle, especialmente considerando que Priscila faz parte do plantel do principal evento de MMA do mundo, é o suposto problema com drogas da lutadora, especificamente a maconha e cocaína. Apesar de afirmar nunca ter visto ‘Pedrita’ usando cocaína, a ex-namorada alega já ter encontrado, mais de uma vez, a droga nos pertences da ex-namorada e na casa em que o casal morava. A gaúcha também conta de passagens onde supostos traficantes teriam deixado ou entregado a droga para a lutadora.

“Já era umas duas e pouca (da manhã), ela falou: ‘Marcelle, o pneu do carro esvaziou. Vamos ali no posto encher’. Quando fui descer para ajudar, ela não deixou eu descer do carro. Aí nisso passa um cara de moto e joga alguma coisa para ela. Vi e saí do carro, fui para cima dela, tentando tirar dela. A gente começou a se agredir no posto. Aí lá pelas tantas, ela cansou e jogou longe o negócio. Não lembro se era um ou dois pinos de cocaína. (…) Uma vez eu estava sentada fazendo xixi no banheiro e tinha uma estante com as nossas toalhas. Eu fui pegar uma toalha quando abri tinham seis pinos de cocaína. Eu entrava no carro quando ela saia do carro, eu tirava os tapetes, olhava, esticava todo o carro sempre achava droga nas coisas dela. Sempre. Maconha eu já vi ela usando, agora cocaína eu nunca cheguei a vê-la cheirando. Mas eu pegava as drogas com ela, entendeu?”, contou Marcelle.

Ao ser questionada sobre o assunto, ‘Pedrita’ – que nunca escondeu que no passado já teve problemas com as drogas – negou que ainda faça uso de substâncias proibidas por lei. De acordo com ela, a alegação de sua antiga namorada é facilmente desbancada pelo fato de ser constantemente testada pela USADA (agência antidoping americana), parceira do UFC no combate ao doping nos atletas da organização.

Vale lembrar que a lutadora foi flagrada no antidoping em dezembro de 2019, sendo suspensa por quatro meses, pelo uso de um diurético – substância proibida pela USADA -. Sua versão é de que o material estava presente em um remédio administrado por sua mãe após ela ter passado mal. No entanto, até o momento, nenhum sinal das drogas recreativas teria sido encontrado em seus exames.

“Pede pra USADA vir me testar de novo. Tenho aqui o meu último teste, eu recém lutei. Acabei de receber a notificação do meu último teste da USADA aqui. Tenho prova de tudo. Pede para a USADA vir me testar de novo. Sou uma atleta do UFC, estou constantemente sendo testada pela USADA, o sistema antidoping do UFC. Como que eu sou usuária de droga?”, declarou Priscila, antes de explicar as fotos apresentadas por Marcelle como provas.

“A gente morava em uma comunidade. Quando a polícia passava, os ‘aviãozinhos’ se desfaziam dos flagrantes, e meu muro era baixo e eu morava de esquina. Nesse dia que a polícia passou e os ‘aviãozinhos’ jogaram para dentro do meu quintal. Eu estava dormindo. Ela me acordou para dizer: ‘Olha aqui. É teu’. Tirou foto dizendo que era meu. Eu ainda chamei o vizinho do bar da frente, ele é testemunha. Falei: ‘Aconteceu alguma coisa?’. Ele falou: ‘Po, os aviãozinhos, para se desfazer, joga na casa dos outros’. Ela não tem prova nenhuma, ela nunca me viu usar nada, nunca. Fica dizendo que eu fumei com meu filho, pelo amor de Deus. Eu bebi uma cerveja e fumei um cigarro. Qual o problema? Beber cerveja eu bebo”, afirmou Pedrita.

Um dos motivos pelos quais a lutadora pode ter passado ilesa – no que diz respeito às drogas recreativas – nos exames aplicados pela USADA, de acordo com Marcelle, pode ter a ver com uma história que ela diz ter vivenciado quando ambas ainda moravam em Niterói. Ao ser procurada na academia da ‘PRVT’ pelos agentes da USADA, Pedrita teria se escondido e só voltado para casa dias depois.

“Um dia ela tinha ido para o Vasco, não lembro se era para receber ou se era para a fisio, e eu tinha ficado em casa. Nisso o pessoal da USADA foi na academia atrás dela e não achava ela. Ela não atendia o telefone. Do nada ela desapareceu. O pessoal da equipe ligou para mim, eu também não sabia dela. Já de noite, ela entrou em contato comigo, para eu encontrá-la perto de um bar, lá de onde a gente morava. Ela não falou porque que estava fugindo da USADA e sumiu. Só foi aparecer acho que um ou dois dias depois. Não lembro se ela deu uma desculpa do filho dela. Porque eles podem ter até três faltas no ano, né?”, contou Marcelle.

Louis Grasse

Caso de polícia

De acordo com a gaúcha, o motivo para o registro do Boletim de Ocorrência na Polícia, além da Medida Protetiva, seria um temor de que algo pudesse acontecer com ela, já que ‘Pedrita’ não teria aceitado o fim do relacionamento e teria dito a ela, através de mensagens pelo ‘Whatsapp’ – divulgadas por Marcelle nas suas redes sociais na última quinta-feira -, que iria atrás dela em Bagé para tentar reconquistá-la. Além disso, a suposta relação próxima da lutadora com traficantes e usuários de droga também preocupa a gaúcha.

“Antes de vir pra cá, falei para ela: ‘Priscila, tenho medo de você fazer alguma coisa comigo ou até mandar alguém fazer alguma coisa’. Porque aqui na minha cidade, quando ela esteve aqui, ela conseguiu drogas, sei lá com quem, porque aqui não é que nem o Rio, que é jogado na rua. Então, qualquer marginal por, sei lá, 50 ou 100 ‘pila’ faz alguma coisa comigo. E fora que no tempo que ela usava e que ela morava na rua, ela conhece bastante gente relacionada a isso, tem contato com pessoas da favela, e pode muito bem mandar alguém vir aqui entendeu? Podem chegar aqui e acontecer alguma coisa comigo e ninguém ficar sabendo nada”, explicou Marcelle.

A lutadora do UFC, por sua vez, afirma que tudo não passa de uma tentativa da ex-namorada em acabar com sua profissão e fazê-la ser demitida da organização. De acordo com ‘Pedrita’, a antiga companheira já havia afirmado, no passado, que tentaria prejudicar sua carreira caso ela a deixasse. Outro ponto levantado por Priscila foi a questão financeira, uma vez que sua ex-namorada se incomodava quando ela ajudava financeiramente sua família, em especial sua mãe, que é responsável pela criação do seu único filho.

“Enfim, ela sabe a verdade. Quer destruir a minha carreira, ela quer me denegrir. Ela é uma pessoa ruim, desequilibrada mentalmente. Já tentou suicídio, já agrediu os pais, já tem casos na Justiça contra os pais, já fez tratamento psiquiátrico, tomava remédio controlado. Não aceitava que eu mandava dinheiro para o meu filho, porque minha mãe que cuida do meu filho. Sempre falei: ‘Vamos trazer o Marcelo para morar com a gente. Eu tenho maior vontade de trazer meu filho para ficar com a gente’. Ela nunca aceitou. Então a gente tinha que mandar dinheiro para o meu filho e ela achava um absurdo. Para ajudar minha mãe, a mulher que me ajudou a superar as drogas, a mulher que me tirou de dentro do mato quando eu era cracuda… Ela odiava se eu mandasse dez reais para minha mãe”, relatou ‘Pedrita’.

“Dei um carro que eu comprei, um Celta, o primeiro carro que eu comprei, depois da luta do UFC Nova Zelândia, que eu ganhei o bônus. Comprei um carrinho e quando eu fui pra Las Vegas, eu dei o carro pra minha mãe, para ela levar meu filho para a escola. Ela chegou e disse na Justiça que o carro era dela, que eu dava as coisas dela, o dinheiro dela. Eu que pagava tudo, eu que pagava aluguel, nunca cobrei nada dela. Ela não trabalhava, ela só estudava, só fazia a faculdade dela. E eu ainda ajudava muito ela nos estudos . Para ela fazer essa injustiça. Isso é uma pessoa ruim. Mas ela está querendo me denegrir. Querendo acabar com a minha carreira. Sabe qual é o objetivo dela? Que eu seja demitida do UFC. Porque ela dizia pra mim: ‘Se um dia tu me deixar, eu vou acabar com a tua carreira’. Ela é maluca. Eu vou provar que eu sou inocente e eu vou conquistar o cinturão do UFC. Pode escrever o que eu estou falando. Eu vou conquistar o cinturão do UFC. E isso é mais uma provação que eu estou passando. É Deus me mostrando quem é que serve para estar ao meu lado no próximo passo da minha vida. A verdade vai vir à tona e vocês vão ver que eu sou inocente”, finalizou a lutadora.

Mais em UFC