Siga-nos
Louis Grasse/PxImages

UFC

Dillashaw revela lesões em camp e explica porque não desistiu de encarar Sandhagen

Vindo de um hiato de mais de dois anos, devido à suspensão por doping que precisou cumprir, TJ Dillashaw retornou à ação no último sábado (24), com uma vitória sobre Cory Sandhagen, por decisão dividida dos juízes, na luta principal do UFC Vegas 32. Durante grande parte do combate, o ex-campeão peso-galo (61 kg) precisou lidar com uma lesão no joelho esquerdo, sofrida ainda no primeiro round, mas este não foi o único obstáculo pelo qual o veterano precisou passar.

Em conversa com os jornalistas durante a coletiva de imprensa pós-evento, Dillashaw revelou ter tido uma preparação conturbada, especialmente no que diz respeito à sua saúde. De acordo com o americano, várias lesões o atormentaram durante seu camp, e em diferentes partes do corpo. Ainda assim, o veterano descartou que tenha pensado na possibilidade de se retirar novamente da luta e justificou citando o longo período afastado do esporte.

Vale lembrar que, inicialmente, o duelo entre Dillashaw e Sandhagen estava marcado para acontecer no dia 8 de maio, mas precisou ser adiado por conta de um corte sofrido pelo ex-campeão durante seus treinamentos de preparação.

“Eu tive um camp muito, muito, muito duro. Eu não consegui nem fazer sparring durante todo esse camp. O primeiro camp que eu fiz, já que nós deveríamos lutar dia 8 de maio, transcorreu tranquilo, tirando o corte. Eu pude fazer sparring. Meu corte estava melhorando. No segundo camp, eu não consegui me manter saudável. A primeira lesão foi um nervo comprimido no meu pé. Até dois dias atrás, eu tinha que treinar de sapato. Isso é a pior coisa com que eu poderia estar lidando”, contou Dillashaw, antes de continuar.

“Eu rompi meu MCL (ligamento medial colateral) no meu joelho direito. Eu machuquei meu ombro esquerdo também. O camp inteiro. Foi um camp muito duro. Eu, obviamente, não queria falar sobre isso. Eu não queria dar nenhuma desculpa. Eu só precisava entrar lá. Já tinha tempo para c*** (que não lutava). Não tinha a menor chance de eu me retirar da luta”, finalizou.

Ex-campeão peso-galo do Ultimate, TJ Dillashaw foi suspenso por dois anos pela USADA (agência americana antidoping) após ser flagrado com substâncias proibidas em seu organismo em exames antidoping realizados antes e depois de sua luta contra Henry Cejudo, em janeiro de 2019, válida pelo cinturão peso-mosca (57 kg) do UFC. Além do afastamento do esporte, o americano também perdeu o título dos galos em decorrência da infração.

Mais em UFC