Siga-nos
Natassia del Frate/PxImages

UFC

Cannonier defende ‘Borrachinha’ após brasileiro cobrar valorização do UFC

Ao que parece, a guerra entre Dana White e Paulo ‘Borrachinha’ está longe de ter um fim. Recentemente, o brasileiro informou que não assinou o contrato para enfrentar Jared Cannonier no dia 21 de agosto, e explicou que tomou tal decisão pelo fato de discordar do valor oferecido pelo UFC. Na sequência, o cartola criticou, de forma veemente, a postura do mineiro. Envolvido diretamente no caso, Cannonier se pronunciou a respeito.

Em entrevista ao site ‘Submission Radio’, Cannonier, que agora enfrenta Kelvin Gastelum no evento, ficou do lado de ‘Borrachinha’ e o parabenizou, porque são poucos os lutadores que têm a coragem que o mesmo demonstrou ao bater de frente com o UFC. Apesar de sair de um combate de maior proporção, já que o brasileiro se encontra na segunda posição no ranking do peso-médio (84 kg) e o atual adversário é o nono colocado, o americano deixou claro que não guarda rancor, pois a decisão tomada pelo mineiro é importante.

Vale lembrar que ‘Borrachinha’ não foi o único lutador que entrou em rota de colisão com o UFC e, principalmente, com Dana White. Antes, Jon Jones, ex-campeão dos meio-pesados (93 kg) discutiu com o cartola a respeito de uma maior valorização por parte da companhia para estrear no peso-pesado contra Francis Ngannou. Como não houve acordo, o futuro de ‘Bones’ na organização é incerto. De acordo com Cannonier, os demais profissionais deveriam entrar em cena, pois esta é uma luta de interesse de todos.

“Eu não sei quanto ele está recebendo por luta, mas é um argumento comum. Lutadores de MMA em geral não recebem tanto em comparação com as organizações. Então, sim, eu entendo o argumento. Eu não posso odiá-lo, bater nele ou castigá-lo por essa postura. É uma postura muito ousada dizer que não vai lutar a menos que paguem mais. Alguém tem que lutar por nós, lutadores, para recebermos mais. Eu também não vou recusar um cheque mais gordo”, declarou Cannonier, antes de completar.

“Essa foi a escolha dele. Com isso dito, ele tem que ser capaz de lidar com as consequências e talvez até mesmo perder sua posição. Ele está classificado como número dois, acabou de lutar pelo título, então ele está no topo. Ele pode voltar com algumas vitórias. Quando você consegue uma luta pelo título, é quando você começa a receber pontos de pay-per-view, é quando ouço que o dinheiro começa a entrar. Eu não sei, porque ainda não cheguei lá. Ele está lutando por algo pelo qual eu lutaria. Ele está lutando por mim”, concluiu.

Jared Cannonier, de 36 anos, é um dos lutadores mais temidos do peso-médio por conta de seu poder de nocaute e, atualmente, se encontra na quarta posição no ranking da categoria. No MMA, desde 2011, ‘The Killa Gorilla’ disputou 17 lutas, venceu 13, sendo nove por nocaute, e perdeu quatro vezes.

A curiosidade é que o veterano atuou por três divisões diferentes (peso-pesado, meio-pesado e peso-médio). A última aparição do lutador no octógono ocorreu em outubro de 2020, quando foi derrotado por Robert Whittaker. Já os triunfos mais importantes de Cannonier foram sobre Anderson Silva e Jack Hermansson.

Mais em UFC