Siga-nos
Diego Ribas/PxImages

UFC

Brunson admite que pode aguardar por ‘title shot’: “Quero ser recompensado”

Com o triunfo por finalização sobre Darren Till no último sábado (4), na luta principal do UFC Vegas 36, Derek Brunson chegou à quinta vitória consecutiva e, definitivamente, colocou seu nome na corrida por uma futura oportunidade de lutar pelo título da divisão dos pesos-médios (84 kg) da liga. Porém, ciente dos planos da organização para a seguinte disputa de cinturão da categoria, o americano cogita inclusive se afastar momentaneamente do octógono e aguardar por sua chance, ao invés de arriscar perder o bom momento.

Durante a coletiva de imprensa pós-show, Brunson admitiu que pode ter que vencer mais um adversário da elite dos pesos-médios antes de conseguir o sonhado ‘title shot’, mas ressaltou que já se sente merecedor de tal conquista. Vale lembrar que, apesar de não ter sido oficializado pelo UFC, o próximo duelo pelo título da divisão deve acontecer entre o campeão Israel Adesanya e o australiano Robert Whittaker, ex-soberano da categoria, ainda sem data ou local confirmados.

“Eu posso usar uma luta de aquecimento com um dos irmãos Paul ou algo assim. Talvez Dana White possa me emprestar para a Triller para lutar com um desses caras, ou talvez eu possa esperar até Israel (Adesanya) e (Robert) Whittaker lutarem no começo do ano que vem e nós podemos lutar em março ou abril. Nós temos algumas opções”, ponderou Brunson, antes de continuar.

“Cannonier não está totalmente fora de cogitação, mas eu tenho sido irredutível ao pedir os caras mais duros da divisão. Eu pedi por Paulo Costa (Borrachinha), o UFC o enviou um contrato e ele não assinou. Se eu tivesse conseguido aquela luta, eu seria definitivamente o próximo pelo título. Eu estou fazendo todo esse trabalho. Quero ser recompensado. Eu nunca consegui um title shot na minha carreira”, finalizou.

Curiosamente, a última derrota de Derek Brunson veio justamente diante de Israel Adesanya, em novembro de 2018, por nocaute técnico. Desde então, o americano voltou às origens, passou a priorizar o jogo de wrestling como estratégia principal e engatou uma sequência de cinco vitórias, chegando ao top 5 da categoria.

Mais em UFC