Siga-nos
Rigel Salazar/PxImages

UFC

Atleta do UFC culpa ausência do público para justificar derrota de Ferguson para ‘Do Bronx’

Em meio ao cenário de pandemia de COVID-19, a maioria da atual temporada do UFC foi realizada sem a presença de público para respeitar o protocolo de segurança. No entanto, para alguns fãs e lutadores, a ausência da torcida é um fator que pode afetar o resultado dos combates, como sugere o peso-leve (70 kg) Dan Hooker.

Em entrevista ao ‘Submission Radio’, o neozelandês afirmou que o fato da luta entre Charles ‘Do Bronx’ e Tony Ferguson, válida pelo UFC 256, evento realizado no último sábado (12) em Las Vegas (EUA), ter sido disputada em um ginásio pequeno e com os portões fechados teve grande influência na derrota do norte-americano. Hooker explicou que passou pela mesma experiência, ao atuar em um estádio lotado e outro vazio, e cravou que esse cenário prejudicou Ferguson, que se empolga com a presença dos fãs, e ajudou Charles, que, em sua visão, não lida bem com a pressão.

“Para mim, é bastante óbvio o que aconteceu. Tony é um lutador de multidão, ele absorve a energia da torcida. Nesses grandes momentos, sob pressão, com dez, 20, 30 mil pessoas na arena, você não pode me dizer que isso não muda a situação. Charles Oliveira, para mim, é um lutador que, tradicionalmente, não se sai muito bem sob pressão nessas grandes lutas. Você olha para qualquer grande luta que teve no passado e ele congela ou vai desmoronar pela pressão. Para mim, foi isso. Tony não estava acordado, não parecia estar irritado e Charles Oliveira estava fazendo suas coisas livremente. Você não pode me dizer que isso não muda o que você está fazendo. Todo mundo é incrível em fazer seu trabalho diário, mas é como se você tivesse que fazer seu trabalho diário com 20 mil pessoas lá, gritando e deixando você animado”, decretou Hooker.

Aos 30 anos, o atleta da Nova Zelândia é um dos principais nomes da divisão dos leves. Por sinal, a categoria é a de maior visibilidade no momento. Virtualmente aposentado, o campeão Khabib Nurmagomedov vê a pressão de Dana White para que ele retorne ao octógono, enquanto nomes como Conor McGregor, Dusint Poirier e Charles ‘ Bronx’ seguem em busca de uma oportunidade de enfrentá-lo.

“Gosto das multidões, funciono bem assim e adoro a pressão. Quando há muito público, os lutadores podem extrair energia disso ou podem congelar. Minha opinião é que Charles Oliveira ainda é um m*****. Só estou rindo um pouco. Ele não fez nada incrível. Ele apenas fez algumas coisas básicas fundamentais para Tony Ferguson, que não teve resposta. Para mim, ele não estava treinando os fundamentos por um tempo e o MMA é um jogo para melhorar seus fundamentos e trabalhar neles. É assim que eu vi. Não é como se eu estivesse tão impressionado com as coisas incríveis que Charles Oliveira fez”, decretou Hooker.

Atualmente, Dan Hooker se encontra em uma posição de destaque no peso-leve (70 kg) do UFC. O neozelandês ocupa a sexta posição no ranking da categoria e, na atual temporada, disputou duas lutas. Na primeira, realizada em fevereiro, em seu país natal, superou Paul Felder em uma guerra. Na segunda, disputada em junho, foi derrotado por Dustin Poirier em outro combate visceral.

Mais em UFC