Siga-nos
Diego Ribas/PxImages

UFC

Ariane Lipski lamenta nova derrota no UFC e identifica grappling como ponto fraco

Ariane Lipski não possui boas lembranças do UFC Vegas 28. No evento que aconteceu no último sábado (5), em Las Vegas (EUA), a brasileira não suportou os ataques de Montana De La Rosa no solo e acabou nocauteada no segundo round. Em má fase na organização e distante do top-15 do peso-mosca (57 kg), a curitibana se pronunciou após o duro revés.

Em suas redes sociais (veja abaixo ou clique aqui), Ariane admitiu que deixou a desejar no octógono e não deu desculpas para justificar a derrota. Pelo contrário, a brasileira lamentou o resultado, porque realizou um intenso treinamento na ‘American Top Team’.

Mesmo abalada com o quarto revés em seis lutas no UFC, a curitibana prometeu se dedicar ainda mais para voltar ao caminho das vitórias. Inclusive, Ariane já identificou que seu ponto fraco é o grappling. Vale lembrar que, nas derrotas para Antonina Shevchenko e Montana, a atleta foi facilmente quedada pelas rivais e se tornou presa fácil no solo.

“Com certeza, essa não é a imagem pós-luta que eu tinha em mente, mas a vida é assim. Ela não é feita apenas de momentos felizes. Os momentos difíceis acontecem para que possamos crescer. Não é fácil voltar para o octógono depois de ser derrotada e depois de uma fratura facial, mas voltei e fiz isso mais forte, tanto física quanto psicologicamente. Eu estava bem preparada, focada e confiante, no entanto, ainda não consegui mostrar minha evolução no grappling. Tive o melhor training camp de todos os tempos”, declarou Ariane, antes de completar.

“Cresci e evoluí, fui amadurecendo e depois de chorar pela decepção e me perguntar o motivo do meu momento de brilhar não chegar, lembro-me de Tiago 1:2-6: “Queridos irmãos e irmãs, quando problemas de qualquer tipo surgirem em seu caminho, considerem isso uma oportunidade para a grande alegria. Pois você sabe que quando sua fé é testada, sua perseverança tem uma chance de crescer. Escolhi esta profissão e a abraço em todos os momentos. Vou trabalhar e treinar mais, repetir, cometer erros e acertar, então, a vitória virá. Obrigado a minha equipe e aos que ainda estão me apoiando e gostando de assistir minhas lutas”, concluiu.

Ariane Lipski, de 27 anos, chegou ao UFC com certa pompa, já que teve boa passagem pelo KSW, porém ainda não se firmou. Pela organização, a brasileira, conhecida pelo bom nível na trocação, disputou seis combates, venceu dois e perdeu quatro. Atualmente, a curitibana vive momento delicado na companhia. Nas duas últimas lutas que realizou, a ‘Rainha da Violência’ foi nocauteada por Antonina Shevchenko e Montana De La Rosa, ambas no segundo round.

Mais em UFC