Siga-nos

Notícias

Jornalista da ‘ESPN’ acusa Cejudo de utilizar termo racista contra Aljamain Sterling

Henry Cejudo é o atual campeão peso-galo (61 kg) do UFC – Dan Wainer/Ag Fight

Acostumado a causar uma espécie de ‘vergonha alheia’ com suas provocações a outros atletas, Henry Cejudo pode ter ido longe demais desta vez. Em uma recente publicação no ‘Twitter’, o campeão peso-galo (61 kg) do UFC trocou propositalmente a escrita do nome de Aljamain Sterling, causando o desconforto de alguns, como Karyn Bryant – âncora da emissora americana ‘ESPN’ – que o acusou de racismo.

Na publicação, que servia para promover uma resposta sua à própria ‘ESPN’ sobre o inconformismo de alguns concorrentes da divisão com relação ao próximo provável desafiante ao cinturão, Cejudo se referiu a Aljamain Sterling como ‘Aljamima’, que pode ser entendido como uma referência à personagem símbolo de uma marca de xarope para panqueca chamada ‘Aunt Jemima’, comumente utilizada em um contexto racial pejorativo. Apesar de ser uma prática relativamente comum por parte do campeão chamar alguns de seus rivais por nomes diferentes, como José Aldo, por exemplo, a quem chama de José Waldo, Karyn Bryant – também negra, assim como Sterling – viu teor racista na provocação feita por ‘Triple C’ e sugeriu que ele parasse de usá-la.

“Campeão, eu respeito seu talento. E eu não sou facilmente insultada. Mas, se você estiver pensando se chamar Aljamain Sterling de ‘Aljamima’ foi racista, a resposta é sim. Sim, é racista. Por favor, pare”, escreveu Karyn Bryant em sua conta do ‘Twitter’, em resposta a Cejudo.

A grande repercussão do caso fez a jornalista deletar sua publicação, já que muitos alertaram para o fato de Henry Cejudo não ter tido a intenção de ser utilizar um termo racista. Além disso, a discussão na internet entrou na polarização entre direita e esquerda, como vemos em muitos casos atualmente, e a jornalista optou por se retirar da polêmica.

“Como prometido, deletado! Obrigado por jogarem”, escreveu a jornalista após apagar a mensagem original.

“Mas é o ‘Twitter’, então agora é uma ‘guerra de raças’. Foi um pedido para ele parar de usar um insulto (talvez ele não percebeu que era um, mas…). Para ser honesta, eu provavelmente deveria ter enviado uma mensagem privada a ele (Cejudo). Porém, mais uma vez eu fui lembrada o porquê eu nunca entro em nada sério nessa plataforma”, desabafou Karyn Bryant.

Mais em Notícias