Siga-nos

Notícias

‘Durinho’ promete encarar Demian Maia na luta de chão: “Ofereço perigo”

Gilbert Durinho encara Demian Maia neste sábado, em Bra´sss[usçi- Carlos Antunes

Campeão mundial de jiu-jitsu com kimono e sem kimono, Gilbert ‘Durinho’ possui algumas das mais temidas credenciais de luta de solo de todo o UFC. No entanto, do outro lado do octógono no co-main event do UFC Brasília, evento programado para este sábado (7), estará Demian Maia, atleta apontado por especialistas como o que melhor adaptou a arte suave para o MMA em todos os tempos. Mesmo assim, o carioca promete um estilo inédito diante de seu oponente.

Ao contrário dos campeões do UFC que já cruzaram o caminho de Demian – como Anderson Silva, Tyron Woodley e Kamaru Usman -, Durinho promete encarar o jogo de chão de seu oponente e trocar posições se preciso. Dessa forma, o carioca seria o primeiro a oferecer risco ao estilo finalizador do meio-médio (77 kg) paulista.

“Acho que vou incomodar demais no jiu-jitsu, mais do que qualquer um”, enalteceu durante conversa com a reportagem da Ag. Fight. “Se você vir ver as lutas, Anderson. Kamaru, Colby, eles meio que deram um knockdown, o Demian entra em queda, cansado e debilitado, e os caras não iam (para dentro). Ofereço esse perigo. Se me chamar na guarda, eu entro. E tem perigo do nocaute, se minha mão entra, consigo um knockdown, tenho muita arma ali. Não vou evitar o chão não. Acho que vamos trocar chão sim. Uma posição que ele tem é se chegar nas costas, vai me amarrar bastante ali”.

Ao contrário de suas duas primeiras lutas como meio-médio no UFC, Durinho pôde se preparar devidamente para este duelo. Ao invés de ser chamado em cima da hora, o pupilo de Vitor Belfort teve cerca de dez semanas de treino específico para a luta, o que lhe garantiu tempo de sobra para afiar detalhes técnicos e sua dieta.

“Pode esperar porque até agora vai ser minha melhor atuação. Claro, na hora as vezes tem que se adaptar mais com a estratégia. Estou saudável, forte, agora só faltam 5 kg para perder e estou comendo tranquilo. Nada comparado com o sacrifício de antes. Acho que o jogo vai bater, vai rolar chão, vai rolar tudo”, analisou.

Aos 33 anos, nove a menos do que seu adversário, dificilmente Durinho não teria em Demian uma de suas inspirações. Seus feitos em competições, principalmente no MMA, onde chegou a vencer uma luta sem levar sequer um soco, elevaram o nome do jiu-jitsu novamente como uma modalidade eficaz entre as demais.

“Tenho carinho e admiração por ele. Na época do UFC SP estávamos querendo treinar juntos. Ainda bem que não, porque depois o UFC começou a oferecer essa luta. (…) Se eu nocautear ou finalizar, eu roubo a posição dele, entro no top 5. Tenho muito a ganhar, pouco a perder, acho que é o momento. Sei que ele é duro, alto para caramba, mas treinei com caras que fazem o jogo dele. Estou muito confiante”, finalizou Durinho.

Mais em Notícias