Siga-nos

Notícias

Dhiego Lima exalta história de superação de rival: “Abusou de drogas, quase morreu”

Dhiego Lima voltará ao octógono do UFC no próximo sábado (27), quando enfrentará Court McGee no evento programado para a Flórida (EUA). Talvez pouco conhecido pelo público brasileiro, o adversário do lutador goiano ganhou notoriedade nos EUA não só por vencer a 11ª edição da versão americana do The Ultimate Fighter (TUF), em 2010, como também por revelar ao mundo a sua história de superação.

E, em entrevista à Ag. Fight, Dhiego exaltou perfil guerreiro de seu oponente, mas ressaltou que isso não fará diferença quando eles estiverem frente a frente no octógono. Durante a conversa, o brasileiro – que também foi revelado ao UFC em uma das edições americanas do TUF – recordou da história de McGee, que, em 2005, ficou por alguns minutos sem os batimentos do coração em decorrência de uma overdose.

Após estar à beira da morte, o americano resolveu dar um novo rumo na vida e, menos de dois anos depois, se profissionalizou no MMA e hoje faz parte da maior organização de artes marciais mistas do planeta: “Eu acompanho a carreira dele. Todos os caras que vêm do TUF eu sempre acompanho, porque eu também venho de lá. Ainda mais ele que ganhou o TUF. E ele é um cara que abusou de drogas, quase morreu, e voltou. Então, é um cara que eu admiro”, contou Dhiego, com o característico bom humor.

“É um cara que eu admiro, com muitas batalhas fora do octógono. Muitas vezes, a gente não sabe. Sobe lá, faz o que tem que fazer, mas as lutas fora do octógono tem muita coisa que acontece. Então eu admiro muito ele, mas, quando chegar lá não tem dessa. Luta é luta. Posso admirar, gostar dele, não gostar… De qualquer jeito, a gente vai sair na porrada”, completou o meio-médio (77 kg) brasileiro, em entrevista à reportagem da Ag. Fight.

Além de ter conquistado o primeiro lugar no TUF, outro ponto curioso na carreira de McGee foi a vitória sobre o atual campeão peso-médio (84 kg) do UFC, Robert Whittaker, em 2013, quando o neozelandês ainda atuava na divisão de 77 kg. Deste modo, apesar de Court não ser um atleta ranqueado, ele possui um histórico de destaque na organização.

“Eu assisti a maioria das lutas dele, estudei muito, é um cara que, como eu falei antes, pode me levar para um oponente no top 10, top 15… Olha o cartel do cara. Já ganhou de campeão, de muitos caras. Essa é uma luta que me coloca lá em cima se ganhar dele. Ainda mais finalizando ou nocauteando. Se eu terminar essa luta, vão falar bastante de mim, então essa é a expectativa. Estou preparado para finalizar esta luta e é isso que eu quero. (…) Ganhando esta luta, as portas se abrirão”, concluiu.

Aos 30 anos, Dhiego Lima está em sua segunda passagem pelo UFC. Antes de reestrear em 2017, ele fez parte da maior organização de MMA do planeta nos anos de 2014 e 2015. Ao longo da carreira como lutador de artes marciais mistas, o goiano soma, até o momento, 13 vitórias e sete derrotas. Já Court McGee, quatro anos mais velho, acumula um cartel de 19 triunfos e sete reveses.

Mais em Notícias