Siga-nos
exclusivo!
Louis Grasse/PxImages

Entrevistas

Vicente Luque admite passividade contra Belal e promete retomar estilo agressivo

Em sua última aparição no octógono, realizada em abril, Vicente Luque sofreu um duro golpe. O atleta foi surpreendido por Belal Muhammad e, assim, não só perdeu a luta, como também a sequência de quatro triunfos no UFC. Apesar do duro revés, o brasileiro garante que não está abalado e sim motivado para voltar ao caminho das vitórias diante de Geoff Neal, em agosto, em Las Vegas (EUA).

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight, Vicente abriu o jogo e explicou o que faltou para superar Belal no UFC. Na ocasião, o brasileiro levou a pior por decisão unanime dos juízes após 25 minutos de luta. De acordo com o atleta, o adversário conseguiu impor seu jogo no octógono, porque ele não mostrou sua habitual agressividade e violência em combate, características que lhe tornaram conhecido.

Vale lembrar que Vicente era favorito para enfrentar Belal, justamente, porque o venceu por nocaute em 2016. Mas, apesar do revés afastá-lo de disputar o título dos meio-médios (77 kg) do UFC, o atleta lembra que há males que vêm para o bem. Sendo assim, após assimilar a derrota, garante voltar ao octógono mais forte e melhor do que nunca.

“Belal veio com o jogo muito bom, muito ajustado para me vencer. Ele soube garantir os pontos dele. Eu poderia ter sido mais agressivo. Quando parei e revi essa luta várias vezes, senti que faltou um pouco de mim, daquele assassino silencioso, faltou o Vicente que sempre está lá. Por que? É difícil dizer, mas estou analisando. Foi meu primeiro main event, eram cinco rounds, tive um camp bom e cheguei bem preparado, mas faltou um pouco agressividade. Foi um aprendizado, uma lição e isso é o que vai me levar ao outro nível. Entender o lutador que sou e hoje vi que não sou um lutador para garantir luta e sim pra acabar com ela. É esse estilo que tenho que colocar e faltou isso”, declarou o lutador, que marcou presença na cerimônia de introdução dos novos membros do ‘Hall da Fama’ do UFC.

Derrotado por Belal, em seu entendimento, pela falta de iniciativa no octógono, Vicente assegura que tal erro não vai ser visto novamente no UFC. Tanto que, diante de Neal, o brasileiro prometeu voltar a atuar de forma visceral, porque foi esse o estilo que o consagrou no MMA e o fez alcançar a sexta posição no ranking dos meio-médios. Por mais que o americano seja um lutador duro e forte, ‘The Silent Assassin’ adianta que o adversário vai ter dificuldade para lidar com os ataques do bom e velho Luque no duelo.

“Com certeza, depois de uma luta como essa, relembrei quem sou, o lutador que sou e o motivo de fazer isso. Luto porque amo lutar, cair para dentro, sair na mão. É isso que gosto. Me faltou e não quero mais deixar faltar, porque é o que me faz vencer, é o que me faz ser o Vicente Luque, assassino silencioso, e é esse cara que vai estar lá”, concluiu.

Vicente Luque, de 30 anos, é um dos lutadores mais empolgantes em atividade no MMA e seu cartel confirma tal status. No esporte desde 2009, o brasileiro disputou 30 lutas, venceu 21, sendo 19 delas pela via rápida (11 nocautes e oito finalizações). Seus principais triunfos foram sobre Belal Muhammad, Bryan Barberena, Jalin Turner, Michael Chiesa, Mike Perry, Niko Price (duas vezes), Randy Brown, Thiago ‘Marreta’ e Tyron Woodley.

Mais em Entrevistas