Siga-nos

Entrevistas

Taila faz mistério sobre próximos passos, mas aprova ‘title shot’ contra Shevchenko

Única atleta a vencer seu confronto pela via rápida no UFC Vegas 43, que lhe rendeu também o prêmio de ‘Performance da Noite’ no evento realizado no último sábado (20), Taila Santos saiu do evento com 50 mil dólares extras na conta bancária e com a certeza de que se colocou definitivamente entre os principais nomes do peso-mosca (57 kg) feminino. A vitória por finalização sobre Joanne Wood deixa a brasileira bem posicionada para o futuro, ainda que ela prefira desconversar sobre seus planos.

Assim como já havia feito na entrevista pós-luta, ainda dentro do octógono, Taila optou por fazer mistério quanto ao seu alvo para a próxima luta, na coletiva de imprensa (clique aqui). Sem revelar o nome da rival de divisão que pretende desafiar para seu seguinte compromisso, a peso-mosca admitiu que trata-se de uma atleta do top 5 da divisão, do qual a brasileira provavelmente também fará parte a partir da próxima atualização semanal da lista.

Questionada se aceitaria pular alguns degraus e antecipar uma possível disputa de cinturão contra a campeã Valentina Shevchenko, caso a oportunidade surja já em seu próximo compromisso, a catarinense confirmou o interesse, mas ressaltou a importância de ter tempo hábil para se preparar de forma satisfatória para o confronto.

“Eu não revelei (o nome que tem em mente para sua próxima luta). Não vou revelar o nome agora. Mas vamos trabalhar duro, fazer uma estratégia e, ano que vem, vamos entrar firme. (…) Sim, é uma (atleta do) top 5”, despistou Taila, antes de responder se cogitaria lutar pelo título já na sua próxima luta.

“Sim, aceito. (…) A gente tem que fazer um trabalho, tem todo um treinamento, um camp a ser feito, e a hora que chegar o momento (de disputar o cinturão), a gente vai estar preparado. Mas com esse tempo de treinamento, tendo tempo para fazer uma estratégia”, afirmou.

Com o resultado obtido no último sábado, Taila Santos acumula agora 19 vitórias e apenas uma derrota em seu cartel no MMA profissional. O único revés de sua carreira veio justamente na sua estreia pelo UFC, em fevereiro de 2019, quando foi superada por Mara Romero Borella na decisão dividida dos juízes. Desde então, no entanto, a brasileira se recuperou e engatou uma sequência de quatro triunfos, que deve levá-la ao top 5 da divisão peso-mosca.

Mais em Entrevistas