Siga-nos
exclusivo!
Louis Grasse/PxImages

Entrevistas

Pressionado, Thiago Moisés promete agressividade para voltar a vencer no UFC

Neste sábado (25), em Las Vegas (EUA), Thiago Moisés tem um compromisso decisivo para sua carreira. Com duas derrotas seguidas no UFC, o brasileiro precisa vencer Christos Giagos para afastar qualquer possibilidade de ser cortado. Mas, mesmo pressionado, o paulista, representante da American Top Team, garante que não vai mudar seu estilo de luta no octógono.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight, Thiago promete ser agressivo em sua nona luta pelo UFC e tomar a iniciativa do combate. De acordo com o atleta, a melhor defesa é o ataque e, sendo assim, adianta que não vai deixar Giagos à vontade no octógono. O brasileiro mostrou que estudou o adversário e reconheceu seu valor, mas, ao mesmo tempo, o classificou como um oponente ideal para encerrar a má fase.

O americano está em sua segunda passagem pela companhia e é conhecido no MMA por ter bom nível tanto na trocação, quanto no grappling. Mas tais características não assustam o paulista, porque lida com uma competição mais gabaritada do que Giagos. Vale pontuar que Thiago já integrou o top-15 do peso-leve (70 kg) do UFC e só foi derrotado por tops como Beneil Dariush, Damir Ismagulov, Islam Makhachev e Joel Álvarez.

“Estou bem treinado. Meus principais parceiros de treino na American Top Team foram o Grant Dawson e o ‘Neto BJJ’. Estou focado em buscar a vitória. As minhas duas últimas lutas foram de grande aprendizado. Giagos é um adversário duro, com bastante experiência. Já lutou com o Charles, com o ‘Durinho’, sabe lutar tanto em pé, quanto no chão, mas acho que sou melhor do que ele em todas as áreas. Acredito que essa é uma luta boa para retomar o caminho das vitórias. Vou buscar o nocaute ou a finalização desde o começo”, declarou o lutador.

Thiago Moisés, de 27 anos, é uma das promessas do MMA nacional. Contudo, o atleta busca se recuperar no UFC. Pela organização, o brasileiro chegou a emplacar uma sequência de três vitórias, porém perdeu as duas últimas lutas que disputou. Com o retrospecto negativo recente, o paulista saiu do top-15 do peso-leve da companhia. Seus principais triunfos foram sobre Alexander Hernandez, Bobby Green e Michael Johnson.

Mais em Entrevistas