Siga-nos
Reprodução/Instagram

Entrevistas

Presidente do ‘BJJ Stars’ revela planos para o futuro da liga: “Ser o UFC da luta agarrada”

Neste sábado (6), em São Paulo, acontece a quinta edição do BJJ Stars, evento em que o destaque é o GP dos pesos-pesados (97kg), cujo vencedor vai levar para a casa o cinturão e a premiação de R$ 100 mil. A proposta da organização é reunir grandes nomes do jiu-jitsu para, com isso, aumentar sua popularidade no Brasil e no mundo de forma meteórica. Com o sucesso das atrações realizadas até então, Giovani Decker, presidente da companhia, não esconde a animação em relação aos planos.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight, Decker, confiante na crescente evolução da modalidade, informou que a intenção do BJJ Stars é se consolidar e ganhar cada vez mais notoriedade para dominar o cenário, assim como o UFC conseguiu a soberania no MMA. Vale lembrar que os eventos realizados anteriormente foram debatidos até mesmo entre os fãs de outros esportes, devido a qualidade apresentada. Um dos grandes trunfos do sucesso da organização é a mescla de duelos bem casados, torneios e superlutas entre atletas renomados. Na atual edição, profissionais como Erberth Santos, Felipe ‘Preguiça’, Nicholas Meregali, entre outros disputam o GP dos pesados.

“A expectativa é a melhor possível. O evento vem se consolidando com um dos maiores do mundo no jiu-jitsu e na luta agarrada. Já é referência na comunidade do jiu-jitsu. Aos poucos, começamos a atrair quem gosta de luta no geral. Está chamando a atenção de bastante gente. Podemos atingir um recorde em vendas de pay-per-view. Os lutadores e os fãs gostam do formato de torneio. São lutas que, pelo chaveamento do mundial, são difíceis de acontecer. Estamos trazendo esse desejo dos fãs. O objetivo para o futuro é internacionalizar a marca, ir para o mundo todo e fazer eventos mais frequentes. Pensamos grande e queremos ser o UFC da luta agarrada”, declarou Decker.

Por falar em UFC, atualmente, Giovani lidera o BJJ Stars, mas, no passado, atuou como presidente da maior organização de MMA no Brasil. Questionado se há diferença entre as companhias, o profissional citou, justamente, semelhanças. Contudo, é importante mencionar que, na atual empresa, o clima de respeito prevalece no trato entre os lutadores e na relação dos atletas com a marca, algo que, constantemente, os profissionais reclamam no Ultimate.

“A principal diferença é que o MMA, hoje, é um esporte consolidado mundialmente, tem todo o sucesso do UFC, e o jiu-jitsu está se organizando e crescendo, ficando internacional. Acredito nesse crescimento. A dinâmica das empresas é parecida. Montar card, ver as condições dos atletas, pensar no público, nas lutas que os fãs querem ver. Existem várias similaridades. Procuramos tratar bem o atleta. Essa é uma das filosofias da nossa empresa. O sucesso do BJJ Stars é trabalho e executamos isso no dia a dia”, concluiu.

Além do torneio entre os pesados, a quinta edição do BJJ Stars contará com duelos com e sem quimono. Um dos combates No Gi (sem quimono) é a revanche entre Bia Mesquita e Thamara Ferreira, uma vez que a dupla protagonizou o melhor confronto da última atração. Por sua vez, um dos embates de quimono será a superluta entre Leandro Lo, campeão do GP do peso-médio no show mais recente, e Gustavo Batista.

Confira o card do ‘BJJ Stars’ 5:

GP peso-pesado (até 97kg):

Erberth Santos
Erich Munis
Felipe ‘Preguica’
Gutemberg Pereira
Lucas Barbosa ‘Hulk’
Luiz Panza
Nicholas Meregali
Yuri Simões

Lutas casadas No Gi:

Miltinho Vieira x Gabriel Rollo
Roberto Jimenez x Isaque Bahiense
Thamara Ferreira x Bia Mesquita
Vitor Terra x Percio Broca

Superlutas de quimono:

Gustavo Batista x Leandro Lo
Leon Amancio x Mario Reis

Mais em Entrevistas