Siga-nos

Entrevistas

Novo campeão do UFC, ‘Do Bronx’ mira atingir patamar de “ícone do esporte”

No último sábado (15), Charles ‘Do Bronx’ nocauteou o americano Michael Chandler na luta principal do UFC 262, em Houston (EUA), e se tornou o mais novo campeão peso-leve (70 kg) da organização. Com isso, o lutador paulista – que já tem seu nome escrito na história do Ultimate, sendo detentor de alguns recordes expressivos da liga – atinge um novo patamar, de oportunidades financeiras e reconhecimento popular, dentro da modalidade. Mas o atleta da equipe ‘Chute Boxe Diego Lima’ sonha com voos ainda mais altos.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag Fight (veja acima ou clique aqui), Charles ressaltou seu desejo de alcançar o mesmo status de idolatria que outros grandes campeões do esporte brasileiro atingiram, como Gustavo Kuerten, o ‘Guga’, Ayrton Senna, Acelino ‘Popó’ Freitas, entre outros. Especialmente no que diz respeito à questão do reconhecimento popular, ainda que valorize o crescimento financeiro que sua conquista pode acarretar, e todos os benefícios que o mesmo pode gerar para sua família.

“Eu não quero ser só um grande lutador. Eu quero ser um ícone do esporte. Quero ser lembrado, quero fazer história. A minha vida inteira eu falei isso. Eu entrei no UFC para fazer história. Eu quero ser reconhecido, quero passar na rua e que tenha foto minha, tenha imagem minha. Eu quero mostrar isso para as pessoas. Então, a gente está trabalhando bastante sobre isso”, destacou ‘Do Bronx’, antes de completar.

“Dinheiro é uma consequência que vem. Igual todo mundo fala dos bônus. Os bônus sempre foram consequência. Hoje, se não me engano, a gente empatou com o Donald Cerrone. Eu tenho tudo para fazer mais história, passá-lo no número de bônus também. Tudo que eu falei, que eu ia entrar aqui, que eu ia fazer história e quebrar recordes, Deus está me abençoando e eu estou fazendo”, concluiu.

Recordista de vitórias por finalização na história do Ultimate, Charles agora detém também a marca de maior número de triunfos pela via rápida, seja por nocaute ou finalização, na liga. Vivendo sua melhor fase na carreira, com direito a ostentar uma sequência positiva de nove vitórias, o novo campeão dos leves agora ficará no aguardo pela definição do primeiro desafiante ao seu cinturão, que pode sair do confronto entre Dustin Poirier e Conor McGregor, agendado para o dia 10 de julho, no UFC 264, em Las Vegas (EUA).

Mais em Entrevistas