Siga-nos

Entrevistas

‘Neto BJJ’ exalta transição para American Top Team: “Me senti em casa”

No último sábado (1º), Joaquim Silva voltou a vencer após quase quatro anos e ganhou sobrevida dentro do Ultimate. Depois de mais de uma temporada afastado dos octógonos, o peso-leve (70 kg) brasileiro exaltou um fator crucial no mais recente resultado positivo da carreira: a transição para a equipe ‘American Top Team’.

Em entrevista exclusiva à Ag Fight após o UFC Vegas 61, ‘Neto BJJ’, como é conhecido, admitiu que o trabalho desempenhado no novo time se traduziu dentro do octógono. O triunfo por nocaute diante de Jesse Ronson lhe rendeu, inclusive, o bônus de ‘Performance da Noite’ do show.

“Falando em específico da ATT (American Top Team), eu me senti muito em casa. Os treinadores, tem muitos brasileiros lá, todos me abraçaram, me receberam muito bem. Fiquei muito feliz com meu camp. Mestre Conan e também todos os outros treinadores me prepararam da melhor forma. Senti muito da parte deles. Fiquei muito contente, tenho certeza que isso refletiu nessa luta. E vai, a longo prazo, refletir ainda mais lá na frente”, destacou o lutador brasileiro.

Durante o confronto, Neto BJJ surpreendeu ao alternar sua base de luta ao longo do combate. Destro, o atleta revelou que precisou competir como canhoto por conta de uma lesão sofrida no pé e que, curiosamente, o que poderia ser um fator prejudicial o ajudou a confundir seu oponente e conseguir o nocaute.

“Foi até engraçado isso, eu machuquei o pé, estou com ele machucado, tomando remédios. Não estava conseguindo fazer sparring de destro, na minha base normal. Aí comecei a fazer de canhoto. A joelhada em si, é um golpe que eu já faço (…) Estava muito conectado com meus mestres, que nem videogame, eles falavam e eu agindo dentro da luta. Quando o mestre falou: ‘Joelho’, eu nem exitei, joguei e o joelho pegou. Essa parte de trocar para (base de) canhoto, foi porque me lesionei. Aí comecei a treinar de canhoto e ganhei confiança”, revelou, em conversa com a Ag Fight.

De volta à coluna das vitórias, Joaquim Silva já indicou uma possível data para seu retorno ao Ultimate. De olho no ranking da divisão até 70 kg, o brasileiro frisou seu interesse em entrar em ação no card de seu país, agendado para o dia 21 de janeiro, na ‘Cidade Maravilhosa’.

Mais em Entrevistas